Axexe: um rito de passagem.

Autores

  • Helmy Mansur Manzochi Universidade de São Paulo. Escola de Comunicação e Artes

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1995.109240

Palavras-chave:

Morte - Transformação - Vida - Ancestrais - Candomblé AfroBrasileiro

Resumo

Neste artigo descrevemos a cerimônia do Axexê, observada no terreiro de Candomblé “Ilê Olorum Wam Be”, em São Paulo, em 1991. Ela é celebrada quando morre uma pessoa importante da comunidade. Na concepção africana, a morte não significa a extinção total, mas uma mudança de plano de existência e de status, para se chegar ao “estado ancestral”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Helmy Mansur Manzochi, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicação e Artes

Mestre em Artes Plásticas pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo.

Downloads

Publicado

1995-12-18

Como Citar

Manzochi, H. M. (1995). Axexe: um rito de passagem. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (5), 261-266. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1995.109240

Edição

Seção

Artigos