A cerâmica “neo-brasileira” nas terras paulistas: um estudo sobre as possibilidades de identificação cultural através dos vestígios materiais na vila de Jundiaí do século XVIII.

Autores

  • Walter Fagundes Morales Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2001.109416

Palavras-chave:

Arqueologia-histórica - São Paulo Colonial - Administração Indígena - Escravidão Africana - Interação Cultural - Identidade Étnica - Cerâmica - “Cerâmica Neo-brasileira”.

Resumo

Este artigo tem como objetivo apresentar alguns dos resultados obtidos na dissertação de mestrado “A escravidão esquecida: a administração indígena em Jundiaí durante o século XVIII”. Em especial, aqueles que se referem às possibilidades interpretativas oferecidas pela chamada cerâmica “neo-brasileira” no contexto das terras Paulistas do período colonial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Walter Fagundes Morales, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Museu de Arqueologia e Etnologia da USP. Pósgraduação em Arqueologia, Doutorado

Downloads

Publicado

2001-12-16

Como Citar

Morales, W. F. (2001). A cerâmica “neo-brasileira” nas terras paulistas: um estudo sobre as possibilidades de identificação cultural através dos vestígios materiais na vila de Jundiaí do século XVIII. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (11), 165-187. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2001.109416

Edição

Seção

Artigos