A compreensão do território Kaingang no Oeste Paulista a partir da cultura material: possibilidades interpretativas na análise arqueológica

Autores

  • Robson Rodrigues Instituto de Ciências Sociais da Universidade Federal de Uberlândia; Fundação Araporã

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137280

Palavras-chave:

Território Kaingang, Tecnologia cerâmica, Oeste Paulista, Etnoarqueologia, Documentação histórica.

Resumo

O estudo da cultura material de populações indígenas contemporâneas constitui-se em um objeto privilegiado de pesquisa e aprendizado para os arqueólogos, pois permite uma compreensão da dinâmica dos processos de produção e uso dos itens materiais na construção cultural de um povo. No decorrer do processo histórico, os Kaingang, devido ao contato interétnico, diminuíram drasticamente a sua produção oleira, assim como o seu modo de ocupação e utilização do espaço e sistema de assentamento. Tendo como intenção construir modelos interpretativos sobre aspectos do comportamento e da dinâmica social pretérita e ao mesmo tempo compreender como os diferentes elementos históricos provenientes do processo de expansão capitalista provocaram alterações no modo de ser indígena, o caminho que venho percorrendo em minha pesquisa define um panorama do mapa da ocupação Kaingang no Oeste Paulista a partir de dados gerados pelas interpretações arqueológicas na análise da cultura material e da documentação histórica identificada durante as pesquisas no território indígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Araújo, A.G. de M. 2001. Teoria e método em arqueologia regional: um estudo de caso no Alto Paranapanema, estado de São Paulo. Tese de doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas - Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo. CBH-AP. 1997. Relatório de situação dos recursos hídricos das bacias dos rios Aguapeí e Peixe. CETEC, SP. Disponível em: http://www. sigrh.sp.gov.br.
Drumond, C.; Philipson, J. 1947. Os túmulos Kaingang de Parapuã. Sociologia: Revista Didática e Científica, IX (4).
Gould, R.A. 1971. The Archaeologist as Ethnographer: a Case Study from Western Desert of Australia. World Archaeology, nº 31.
Gould, R.A. 1977. Some current problems in ethnoarchaeology. Experimental Archaeology. New York: Columbia University Press. Gould, R.A. 1978. Beyond Analogy in Ethnoarchaeology. In: Gould, R.A. (Ed.) Explorations in Ethnoarchaeology. Albuquerque: Univ. of New Mexico Press.
Landa, B. dos S. 2005. Os Ñandeva/Guarani e o uso do espaço na terra indígena Lindo/Jakarey, município de Japorã/MS. Tese de doutorado. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Rio Grande do Sul.
Miller Jr., T.O. 1978. Tecnologia cerâmica dos Kaingang Paulista. Arquivos do Museu Paranaense, N. S. Etnologia, Curitiba, 2. Ribeiro, D. 1986. Índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil moderno. Petrópolis: Vozes, 5. ed.
Rodrigues, R. 2007. Os Caçadores-Ceramistas do Sertão Paulista: Um estudo etnoarqueológico da ocupação Kaingang no Vale do Rio Feio/ Aguapeí. Tese de doutorado. MAE-USP. São Paulo/SP.
Rodrigues, R. 2010. Relatório Técnico das Atividades de Pesquisa. Projeto: Estudos etnoarqueológicos da população Kaingang no Oeste Paulista: produção tecnológica e ocupação espacial. Projeto: 501002/2009-0. PROCESSO: 151425/2009-4/CNPq. MODALIDADE: Pós-Doutorado Junior – PDJ.FCL/ UNESP. Araraquara/SP. Sakai, K. 1981. Notas arqueológicas do Estado de São Paulo. São Paulo: Instituto Paulista de Arqueologia, Nippon Art.
Schiffer, M.B. 1972. Archaeological Context and Systemic Context. American Antiquity, v. 2, nº37.
Schiffer, M.B. 1978. Methodological Issues in Ethnoarchaeology. In: R.A. Gould (Ed.). Exploration in Ethnoarchaeology. Albuquerque: University of New Mexico Press.
Schiffer, M.B. 1983. Toward the identification of formation processes. American Antiquity, nº48.
Silva, F.A. 2000a. As cerâmicas dos Jê do sul do Brasil e os seus estilos tecnológicos: elementos para uma etnoarqueologia Kaingang e Xocleng. In: Mota, L.T. et al. (Org.). Uri e Wãxi – estudos interdisciplinares dos Kaingang. Londrina: Ed. da Univ. Est. Londrina.
Silva, F.A. 2000b. As tecnologias e seus significados: um estudo da cerâmica dos Asuriní do Xingu e da cestaria dos Kayapó-Xikrin sob uma perspectiva Etnoarqueológica. Tese de doutorado. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Downloads

Publicado

2016-12-24

Como Citar

Rodrigues, R. (2016). A compreensão do território Kaingang no Oeste Paulista a partir da cultura material: possibilidades interpretativas na análise arqueológica. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (27), 44-54. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137280