Explorando a espacialidade de um sítio Itararé-Taquara: estudo de caso do sítio Areia Branca 5, sudeste do Estado de São Paulo

Autores

  • Astolfo G.M. Araújo Museu de Arqueologia e Etnologia Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137281

Palavras-chave:

Tradição Itararé-Taquara, Método, Arqueologia, Arado.

Resumo

O sítio Areia Branca 5, filiado à Tradição Itararé-Taquara e localizado no sudeste do Estado de São Paulo, encontra-se em um terreno arado e foi sujeito a um método que visou a maximização da extração de informações espaciais. Mesmo estando em um contexto de terreno arado, que poderia levar o sítio a ser considerado “alterado” ou “destruído”, ficou claro que a espacialidade do sítio estava pouco comprometida. São discutidas as implicações do método utilizado e a inadequação de métodos de coleta de registro que não reconhecem o potencial existente em sítios arados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Ammerman, A.J. 1985. Plow-zone experiments in Calabria, Italy. Journal of Field Archaeology 12: 33-40.
Ammerman, A.J., Feldman, M.W. 1978. Replicated collection of site surfaces. American Antiquity 43(4): 734-740.
Araujo, A.G.M. 1995. Levantamento Arqueológico Da Área Alto Taquari, Estado De São Paulo, Com Ênfase Na Abordagem Dos Sítios Líticos. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
Araujo, A.G.M. 1999. As geociências e suas implicações em teoria e métodos arqueológicos. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, Anais da I Reunião Internacional de Teoria Arqueológica na América do Sul. Suplemento 3: 35-45.
Araujo, A.G.M. 2001. Teoria e Método em Arqueologia Regional: Um Estudo de Caso no Alto Paranapanema, Estado de São Paulo. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
Araujo, A.G.M. 2002. Destruído pelo arado? Arqueologia de superfície e as armadilhas do senso comum. Revista de Arqueologia 14/15: 7-28.
Araujo, A.G.M. 2007. A tradição cerâmica Itararé-Taquara: características, área de ocor rência e algumas hipóteses sobre a expansão dos grupos Jê no sudeste do Brasil. Revista de Arqueologia 20: 09-38.
Araujo, A.G.M., Ortega, D., Schrage, T., Okumura, M., Ceccantini, G.T. 2016. A Tradição Itararé na região central do Estado de São Paulo: O Sítio Benedito Machado, Botucatu (SP) e suas possíveis relações com o Brasil Central. Cadernos do LEPAARQ 13 (25): 7-23.
Carr, C. 1984. The nature of organization of intrasite archaeological records and spatial analytic approaches to their investigation. Advances in Archaeological Method and Theory 7: 103-222.
DeBlasis, P.D. 1997. Diagnóstico do Patrimônio Arqueológico Situado no Traçado do Gasoduto Bolívia-Brasil no Estado de São Paulo. Relatório. Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo. São Paulo.
Donnelly, K.P. 1978. Simulations to determine the variance and the edge effect of total nearest-neighbor distance. In: Hodder, I. (Ed.), Simulation Studies in Archaeology, Cambridge University Press, Cambridge, 91-95.
Dunnell, R.C. 1982. Science, social science, and common sense: the agonizing dilemma of modern Archaeology. Journal of Anthropological Research 38: 1-25.
Greig-Smith, P. 1983. Quantitative Plant Ecology. Blackwell.
Hodder, C., Okell, E. 1978. A new method for assessing the association between distributions of points in archaeology. In: Hodder, I. (Ed.), Simulation Studies in Archaeology. Cambridge University Press, Cambridge, 97-107.
Hodder, I., Orton, C. 1976. Spatial Analysis in Archaeology. Cambridge University Press.
Jermann, J. 1981. Archaeology, Space and Sampling: Methods and Techniques in the Study of Pattern in Past Cultural Activity. Ph.D. Dissertation. University of Washington, Seattle.
Kintigh, K.W. 1990. Intrasite spatial analysis: a commentary on major methods. In: Voorrips, A. (Ed.). Mathematics and Information Sciences in Archaeology: A Flexible Framework. Holos, Bonn: 165-200.
Lewarch, D.E., O'Brien, M.J. 1981. Effect of short term tillage on aggregate provenance surface patterns. In: O'Brien, M.J., Lewarch, D.E. (Ed.). Plowzone Archaeology: Contributions to Theory and Technique. Publications in Anthropology 27. Vanderbilt University: 7-49.
Odell, G.H., Cowan, F. 1987. Estimating tillage effects on artifact distribution. American Antiquity 52: 456-484.
Ord, J.K. 1972. Families of Frequency Distributions. Griffin’s Statistical Monographs and Courses. Griffin, London.
Peterson, L.D. 1982. The application of controlled surface collection methods in archaeological survey and assessment. The Minnesota Archaeologist 41(2): 47-52.
Robrahn, E.M. 1998. A Ocupação Pré-Colonial do Vale do Ribeira de Iguape, SP: Os Grupos Ceramistas do Médio Curso. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
Rogers, A. 1974. Statistical Analysis of Spatial Dispersion: The Quadrat Method. Pion Limited, London.
Shennan, S. 1997. Quantifying Archaeology. University of Iowa Press, Iowa City.
Shott, M.J. 1995. Reliability of archaeological records on cultivated surfaces: a Michigan case study. Journal of Field Archaeology 22: 475-490.
Wandsnider, L. 1996.Describing and Comparing Archaeological Spatial Structures. Journal of Archaeological Method and Theory 3(4): 319-384
Whallon, R. 1974. Spatial analysis of occupation floors II: the application of nearest-neighbor analysis. American Antiquity 39(1): 16-34.
Zubrow, E.B., Harbaugh, J.W. 1978. Archaeological prospecting: kriging and simulation. In: Hodder, I. (Ed.). Simulation Studies in Archaeology. Cambridge University Press, 109-122.

Downloads

Publicado

2016-12-24

Como Citar

Araújo, A. G. (2016). Explorando a espacialidade de um sítio Itararé-Taquara: estudo de caso do sítio Areia Branca 5, sudeste do Estado de São Paulo. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (27), 55-82. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137281