Caminhos e Paradas: Perspectivas sobre o território Laklãnõ (Xokleng).

Autores

  • Juliana Salles Machado Departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina. Laboratório de Estudos Interdisciplinares em Arqueologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137298

Palavras-chave:

Laklãnõ (Xokleng), Memória, Identidade étnica, Saberes, Acadêmicos indígenas.

Resumo

Há 100 anos do primeiro aldeamento forçado dos Xokleng/Laklãnõ do Estado de Santa Catarina vemos um momento de intensa movimentação social e política entre esta população indígena. Empenhados em um projeto de fortalecimento de sua identidade étnica, os Laklãnõ (Xokleng) têm buscado na história, no passado e na memória um caminho para o seu futuro. Desde pelo menos a década de 1970, esta população indígena tem participado na produção de conhecimento científico como interlocutores em diversas pesquisas. Sua memória é tecida a partir de fios da história oral juntamente com discursos acadêmicos oriundos de diversas disciplinas ao longo desta trajetória de contato. Hoje inseridos no âmbito acadêmico eles vem construindo um projeto cultural para o seu povo baseado em um complexo emaranhado de saberes e conhecimentos que extrapolam as divisas entre local-global, êmico-ético, saber nativo - conhecimento científico. Neste trabalho pretendo refletir sobre nossas próprias construções e práticas na pesquisa arqueológica a partir dos trabalhos feitos por acadêmicosindígenas sobre o eixo do passado-presente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Balée, W. 1994 Footprints of the Forest: Ka’apor
Ethnobotany—the Historical Ecology of Plant
Utilization by an Amazonian People. New
York: Columbia University Press.
Binford, L. 1978 Nunamuit Ethnoarchaeology.
New York: Academic Press.
Binford, L. 1983 In pursuit of the past: decoding the
archaeological record. New York: Academic press.
Binford, L. 1982. Archaeology of Place. Journal
of Anthropological Archaeology, 1(1): 5-31
Claudino, D.C. 2011. Arqueologia na Encosta
Catarinense: em busca dos vestígios materiais
Xokleng. Dissertação de Mestrado em História. Unisinos, São Leopoldo/RS.
Colwell-Chanthaphonh, C. e Ferguson, T.J.
2008. Collaboration in Archaeological Practice.
Engaging Descendent Communities. Altamira
Press: New York.
Conceição, L.C. 2015. Vivências de escritas
entre os Laklano/Xokleng. Dissertação
de Mestrado em Antropologia Social,
Universidade Federal de Santa Catarina,
Florianópolis.
Cortelletti, R. 2012. Projeto Arqueológico Alto
Canoas – PARACA. Um estudo da presença Jê
no Planalto Catarinense. Tese deDoutorado
em Arqueologia, Museu de Arqueologia e
Etnologia, Universidade de São Paulo, São
Paulo.
Cruz, T.M.S. 2014. Etnoecologia de Paisagens
na Terra Indígena Ibirama Laklãnõ, Santa
Catarina, Brasil. Dissertação de Mestrado
em Ecologia Universidade Federal de Santa
Catarina, Florianópolis.
De Masi, M.A.N. (Org.). 2006. Xokleng 2860
a.C. As Terras Altas do Sul do Brasil.
Transcrições do Seminário de Arqueologia
e Etnohistória. Ed. Unisul, Tubarão.
Dias, A.S. 2003. Sistemas de Assentamento e estilo
tecnológico. Uma proposta interpretativa para
a ocupação pré-colonial do Alto Vale do Rio dos
Sinos. Tese de Doutorado em Arqueologia,
Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo. São Paulo.
Dove, M. e Carpenter, C. (Orgs) 2008. Environmental Anthropology. A Historical Reader.
Oxford: Blackwell.
Eble, A.B. 1973. Problemas Arqueológicos da
Região do Alto Vale do Itajaí. Anais do
Museu de Antropologia, Universidade Federal
de Santa Catarina. Florianópolis.
Fairclough, G.; Harrison, R.; Jameson, J.; Schofield, J. 2008. The Heritage Reader. Routledge, New York.
Farias, D.S.E. 2005. Distribuição e Padrão de
Assentamento – Propostas para os Sítios da
Tradição Umbu na Encosta de Santa Catarina.
Tese de Doutorado em História, Faculdade
de Filosofia e Ciências Humanas, PUCRS,
Porto Alegre.
Fossari, T.D. 2004. A população pré-colonial Jê na
paisagem da Ilha de Santa Catarina. Tese de
Doutorado em Geografia, Universidade
Federal de Santa Catarina, Florianópolis.
Gakran, N. 2005. Estudo da Morfossintaxe da
Língua Laklãnõ/Xokleng Jê. Dissertação
de Mestrado em Linguística. UNICAMP,
Campinas.
Heineberg, M.R. 2014. Conhecimento e Uso das
Plantas pelos Xokleng na TI Ibirama Laklãnõ,
Santa Catarina. Dissertação de Mestrado
em Biologia, Universidade Federal de Santa
Catarina, Florianópolis.
Knapp, A.B. & Ashmore, W. (Eds.) 1999. Archaeologies of Landscape. Contemporary Perspectives. Londres: Blackwell Publishers.
Lane, P.J. 2008. The use of Ethnography in
Landscape Archaeology. In David, B. and
Thomas, J. Handbook of Landscape Archaeology. Walnut Creek, CA: Left Coast Press,
pp. 237-244.
Lavina, R. 1994. Os Xokleng de Santa Catarina:
Uma Etnohistória e Sugestões para os Arqueólogos. Dissertação de Mestrado em História.
Universidade do Vale do Rio dos Sinos –
UNISINOS. São Leopoldo.
Machado, J.S. 2015. Ũ TÕDÉN TXI KABEL.
aqueles que contam histórias.memória e território Laklãnõ (Xokleng). Relatório PosDoutorado FAPESP, Museu de Arqueologia e
Etnologia, Universidade de São Paulo.
Machado, J.S. 2012. Lugares de gente: mulheres,
plantas e redes de troca no delta amazônica.
Tese de Doutorado em Antropologia, Museu Nacional, UFRJ, Rio de Janeiro.
Nigro, C. 2004. Para além das correrias.
Desafio socioambiental no Alto Vale do
Itajaí. In Ricardo, F. Terras Indígena &
Unidades de Conservação da natureza. O
desafio das sobreposições. ISA, São Paulo,
pp. 333-356.
Noelli, F.S. 1999-2000. A Ocupação Humana
na região sul do Brasil: Arqueologia, debates e perspectivas 1872-2000. Revista USP,
(44) 218-269.
Noelli, F.S. 1999. Repensando os rótulos e a hstória dos Jê do Sul o Brasil a partir de uma
interpretação interdisciplinar. Revista do
Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo,
Suplemento 3: 285-303.
Noelli, F.S. 1996. Os Jê do Brasil Meridional e
a antiguidade da agricultura: elementos de
linguística, arqueologia e etnografia. Estudos
Ibero-americandos, XXII (1): 13-25.
Noelli, F.S. 2004. O mapa arqueológico dos
povos Jê no sul do Brasil. In Tommasino,
K.; Mota, L.T.; Noelli, F.S. Novas Contribuições aos estudos interdisciplinares dos Kaingang.
Eduel, pp. 17-56.
Paula, J.M. 1924. Memória sobre os botocodos
do Paraná e Santa Catarina organizada pelo
serviço de proteção aos selvicolas sob a inspeccao do Dr. José Maria de Paula. Annaes
do XX Congresso Internacional de Americanistas. Rio de Janeiro.
Pereira, W.S. 1998. Laudo antropológico de identificação e delimitação de terra de ocupação tradicional Laklãnõ (Xokleng): história do contacto,
dinâmica social e mobilidade indígena no Sul do
Brasil. Porto Alegre: Funai.
Piazza, W.F. 1967. Nota preliminar sobre o
PRONAPA no estado de Santa Catarina.
PRONAPA, Publicações Avulsas no 6, Museu
Goeldi, Belém.
Politis, G. Nukak. Ethnoarchaeology of an Amazonian People. Left Coast Press, 2007
Posey, D. [1987] 2008. Indigenous Management
of tropical Forest Ecosystems: the case of
the Kayapós Indians of the Brazilian Amazon. In Dove, M. R. e Carpenter, C. (Eds)
Environmental Anthropology. A historical
reader, Blackwell, pp. 89-101.
Reis, M.S.; Ladio, A.; Peroni N. Landscapes with
Araucaria in South America: evidence for a
cultural dimension. 2014. Landscapes with
Araucaria in South America: evidence for a cultural dimension. Ecology and Society 19(2): 43.
Reis, J.A. 2002. Arqueologia dos buracos de bugre:
uma pré-história do planalto meridional.
EDUCS.
Santos, S.C.dos. 1979. O homem índio sobrevivente do Sul: antropologia visual. Florianópolis: Ed.Garatuja.
Santos, S.C.dos. 1973. Índios e brancos no sul
do Brasil: a dramática experiência dos
Laklãnõ (Xokleng). Florianópolis : Edeme.
Santos, S.C.dos. 1963. Os Grupos Jê em Santa
Catarina : projeto de pesquisa. Rio de Janeiro
(RJ): [s.n.].
Santos, S.C.dos. 1965. Os índios Laklãnõ
(Xokleng) e o antropólogo. Natal: Universidade do Rio Grande. 1965 Os Laklãnõ
(Xokleng), hoje. Blumenau: Blumenau em
Cadernos.
Santos, S.C.dos. 1966. Sobre a organização social
dos Laklãnõ (Xokleng). Florianópolis: UFSC.
Schmitz, P.I.; Becker, I.I.B. 2006. Os primitivos
engenheiros do Planalto e suas estruturas subterrâneas: a tradição Taquara in:
Schmitz, P.I. (Ed.). Arqueologia do Rio Grande
do Sul, Brasil, Documento 05, São Leoplodo:
IAP - UNISINOS, pp. 65-99.
Schmitz, P.I.; Arnt, F.V.; Beber, M.V.; Rosa,
A.O.; Rogge, J.H. 2009. Taió, no Vale do
rio Itajaí, SC. O encontro de antigos caçadores com as casas subterrâneas. Pesquisas
(Antropologia), 67: 185-320 São Leopoldo:
Instituto Anchietano de Pesquisas.
Silva, F.A. & Noelli, F.S. 1996. Para uma síntese
dos Jê do sul: igualdades, diferenças e dúvidas para etnografia, etnohistória e arqueologia. Estudos Ibero-americanos, XXII (1).
Silva, F.A. 2011a. Arqueologia como tradução
do passado no presente. Amazônica 3(2):
260-267.
Silva, F.A. 2011b. Patrimônio Arqueológico em
terras indígenas: considerações sobre o tema
no Brasil. In Ferreira, L.M.; Ferreira, M.L.M.;
Rotman, M.B. (Orgs.) Patrimônio Cultural no
Brasil e na Argentina. Estudos de caso. São Paulo:
AnnaBlume/CAPES, pp 189-214.
Silva, F.A. 2012a. Arqueologia e gestão do patrimônio Arqueológico: a teoria arqueológica
e o papel do arqueólogo. IPHAN, no prelo.
Silva, F.A. 2012b. O passado no presente: narrativas arqueológicas e narrativas indígenas.
In Ferreira, L.M. Multivocalidade, no prelo.
Urban, G. 1985. Interpretation of inter-cultural
contact: the Shokleng and Brazilian na-
tional society 1914-1916. Ethnohistory, 32(3):
224-44.
Veiga, J. 2004. Aspectos Fundamentais da Cultura
Kaingang. Editora Curt Nimuendaju.
Wittmann, L.T. 2007. O vapor e o botoque: imigrantes
alemães e índios Xokleng no Vale do Itajaí/SC (1850-
1926). Florianópolis: Letras Contemporâneas.
Zedeño, M.N. 1997. Landscapes, land use and
the history of territory formation: an example from puebloan southwest. Journal of
archaeological method an theory, 4 (1): 63-103.
Zedeño, M.N. 2008. The Archaeology of Territory and Territoriality. In David, B. and
Thomas, J. Handbook of Landscape Archaeology. Walnut Creek, CA: Left Coast Press,
pp. 210-217
Zedeño, M.N. & Bowser; Brenda, J. (Eds.)
2009. The archaeology of meaningful places.
Salt Lake: University of Utah Press

Downloads

Publicado

2016-12-24

Como Citar

Machado, J. S. (2016). Caminhos e Paradas: Perspectivas sobre o território Laklãnõ (Xokleng). Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (27), 179-196. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2016.137298