O novo e o velho mundo na antiguidade, uma síntese comparativa dentro do debate teórico da história do urbanismo para a arqueologia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2018.143730

Palavras-chave:

Cidades, Urbanização, Revolução Neolítica, Novo Mundo, Velho Mundo

Resumo

Este trabalho busca uma síntese do estado da arte das discussões teóricas sobre o desenvolvimento cultural do chamado processo civilizatório, em relação ao processo do fenômeno urbano no mundo antigo. Visa debater a relação entre a proposta da Revolução Neolítica, a partir da lista qualitativa produzida pelo arqueólogo Gordon Childe no início do século XX, e sua relação intrínseca com o surgimento das cidades e dos processos de urbanização. Para tal, como apresentado, utilizaremos comparativamente vários modelos de ocupações referidas como urbanas referentes ao Mediterrâneo, a Mesoamérica e aos Andes; discutindo as principais visões na historiografia de alguns pontos específicos dos desenvolvimentos urbanos dos períodos, formativo e tardio andinos e das cidades gregas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Burger, R.1995. Chavín and the origins of the Andean civilization. Thames and Hudson,London.

Burger, R.; Salazar, L.1993. El centrosagrado de chavín de Huantar. In: Townsend, R. (Ed.).La Antigua América: el arte de los parajes sagrados. Art Institute of Chicago, Chicago; Grupo Azbache, Ciudad de México, 265-277.

Canziani, J.2012. Ciudad y territorio en los Andes: contribuciones a la historia del urbanismo prehispánico. 2. ed. Fondo Editorial PUCP, Lima.

Castillo, L.2006. Origem, desenvolvimento e colapso das sociedades mochicas. In: Alva, W. (Ed.).Tesouros do Senhor de Sipán Peru: o esplendor da culturamochica. Stilgraf Gráfica e Editora, São Paulo,125-135.

Childe, G.2004. The Urban Revolution. In: Patterson, T.E.;Orser, C. Foundations of social archaeology.Altamira Press, New York,107-116.

Clastres, P.1982. A sociedade contra o Estado. 2. ed.Livraria Francisco Alves Editora S.A., Rio de Janeiro.

Coulanges, F.2006. A cidade antiga. eBooksBrasil, sem local. Disponível em: <http://bit.ly/32TUapG>. Acesso em: 25/07/2019.

Figueiredo, M. 2014. Política e religião no Tahuantinsuyu Inca: evidências das relações centro x periferia de Cusco na cerâmica arqueológica da Costa Norte peruana. Dissertação de Mestrado. Museu de Arqueologia e Etnologia, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Florenzano, M.B. (Coord.).2009. Cidade e território na Grécia antiga:organização do espaço e sociedade. Projeto de pesquisa Labeca, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Gat, A.2000. Why city-states existed? Riddles and clues of urbanisation and fortifications. In: Hansen, M.H. (Ed.).A comparative study of six city-State cultures: an investigation conducted by the Copenhagen Polis Centre. Copenhagen Polis Centre, Copenhagen,125-139.

Giersz,M.;Makowsk,K.2014. El fenómeno Wari: tras las huellas de un imperio prehispánico. In: Giersz, M.;Pardo, C. (Eds.).Castillo de Huarmey:el mausoleo imperial Wari. Mali, Lima, 34-67.

Grube, N.2000. The city-statesof the Maya. In: Hansen, M.H. (ed.): A comparative study of thirty city-State cultures: an investigation conducted by the Copenhagen Polis Centre. Copenhagen Polis Centre, Copenhagen, 547-565.

Hansen, M.H.2000. The concept of city-State and city-State culture. In: Hansen, M.H. (Ed.).A comparative study of thirty city-State cultures: an investigation conducted by the Copenhagen Polis Centre.Copenhagen Polis Centre, Copenhagen, 11-34.

Kolb, F.1992. La ciudad en la antigüedad. Grevos, Madrid.

Labeca. 2010. A organização da khóra: a cidade grega diante da sua hinterlândia. Projeto de pesquisa Labeca, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Lawrence, D.L.; Low, S.M.1990. The built environment and spatial form. Annual Review of Anthropology 19:453-505. Disponível em: http://bit.ly/2MgogOm. Acesso em: 15/07/2019.

Lind, M.D.2000. Mixtec city-states and Mixtec city-State culture. In: Hansen, M.H. (Ed.).A comparative study of thirty city-State cultures: an investigation conducted by the Copenhagen Polis Centre. Copenhagen Polis Centre, Copenhagen, 567-580.

Lumbreras, L.G.1972. De los orígenes del Estado en el Perú: nueva crónica sobre el viejo Perú. Carlos Milla Batres, Lima.

Morris, C. 1999. La arquitectura del Tahuantinsuyu. In: Franklin Pease, G.Y. (Ed.) Los Incas, arte y símbolos.Banco de Crédito del Perú. Lima, 1-60.

Morris, C. 2013. El palacio, la plaza y la fiesta en el Imperio inca. Fondo Editorial PUCP, Lima.

Moseley, M.1992. The Incas and their ancestors: the archeology of Peru.Thames and Hudson LTD, New York.

Murra, J.V.1975. Formaciones económicas del mundo andino. Instituto de Estudios Peruanos, Lima.

Murra, J.V. 1989. La organización económica del Estado inca. Siglo Veintiuno Editores, México D.F.

Niemeyer, H.G.2000. The early Phoenician city-states on the Mediterranean: archaeological elements for their description. In:Hansen, M.H. (Ed.).A comparative study of thirty city-State cultures: an investigation conducted by the Copenhagen Polis Centre. Copenhagen Polis Centre, Copenhagen, 90-115.

Pozorski, T.;Pozorski,S.1993. Early complex society and ceremonialism on the peruvian north coast. In:Millones, L.;Onuke, Y. (Eds.). El mundo ceremonial Andino. National Museum of Ethnology, Osaka, 45-68.

Rostworowski, M.2000. Estructuras andinas del poder: ideología religiosa y política. Instituto de Estúdios Peruanos, Lima.

Smith, M.E.2010. Forma e significado nas cidades antigas: uma nova abordagem para o planejamento urbano. Disponível em: <http://bit.ly/32X92Un>. Acesso em: 26/07/2019.

Whitley, J.2010. A cidade, o Estado e a pólis. Disponível em: <http://bit.ly/2OhC65x>. Acesso em: 26/07/2019.

Downloads

Publicado

2018-10-30

Como Citar

Figueiredo, M. L. B. de. (2018). O novo e o velho mundo na antiguidade, uma síntese comparativa dentro do debate teórico da história do urbanismo para a arqueologia. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (31), 35-55. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2018.143730

Edição

Seção

Artigos