Ciberarqueologia e ensino de História: questões de aprendizagem

  • Alessandro Mortaio Gregori Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação
Palavras-chave: Ciberarqueologia, Realidade Virtual, Aplicativos Digitais, Ensino de História, Ensino Fundamental

Resumo

A presente comunicação pretende discutir o impacto da Realidade Virtual no Ensino de História e na constituição do saber histórico dos educandos. Espera-se apontar encaminhamentos para a pesquisa no campo da ciberarqueologia aplicada ao ensino formal, evidenciando as possíveis formas de abordagem dos aplicativos digitais em sala de aula e posterior análise da produção de saber histórico pelos educandos. Apresentar-se-ão, como exemplo de pesquisa, os resultados da execução dos aplicativos digitais do LARP-MAE-USP, a partir de uma experiência com alunos de 6º ano do Ensino Fundamental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alessandro Mortaio Gregori, Universidade de São Paulo. Faculdade de Educação

Doutorando em Educação (Formação, Currículo e Práticas Pedagógicas) pela FE-USP. Mestre em Arqueologia pelo MAE-USP. Pesquisador do Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, LARP-MAE/USP

Referências

Abud, K. M. 2005. Processos de construção do saber histórico escolar. História e Ensino. Londrina, v.11, jul.: 25-34.

Abud, K. M; Chaves, A; Alves, R. C. 2010. Ensino de História. Coleção Ideias em Ação. Cengage Learnring. São Paulo.

Alves, R. C. 2006. Representações Sociais e Construção da Consciência Histórica. Dissertação de Mestra¬do. Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Braga, M. 2001. Realidade Virtual e Educação. Revista de Biologia e Ciências da Terra. vol.1, n.1, jan/jun: 97-109

Burckle; M.; Kinshuk. 2009. Learning in Virtual Worlds: The Challenges and Opportunities. Conference: CyberWorlds, 2009. CW ‘09- International Conference on on Cyber Worlds, IEEE: 320-327.

Carretero, M. 2008. Enseñanza y aprendizage de la Historia: aspectos cognitivos y culturales. Cultura y Educación, 20 (2), Madrid: 133-142.

Ficheman, I. K.; Zuffo, M. K.; Lopes, R. 2008. Realidade Virtual na Educação e a Nave Mario Schenberg. Fonte, Belo Horizonte, v. 08: 114-121.

Fleming, M.I.D’A.; Gregori, A.M. 2017. Ciberarqueologia e Aprendizagem: Os Aplicativos Digitais do LARP no Diálogo Entre Universidade e Ensino Básico. Rev. Cult. Ext. USP, v. 17, mai., São Paulo: 69-81.

Forte, M. (Ed.) 2010. CyberArcheology. BAR, Oxford.

Garcia, M. P. R. 2010. Un estúdio sobre la efectividad de la multmedia expositiva para el aprendizaje de la Historia. Enseñanza de las ciencias sociales: revista de investigación, n. 10, Barcelona: 45-50.

Garcia, M. P. R. 2011. La arqueologia virtual como fuente de materiales para el aula. Ìber. Didáctica de las Ciencias Sociales, Geografía y Historia, n. 68, Barcelona: 17-24.

Husbands, C. 2003. What is History Teaching? Language, Ideas and Meaning in Learning about the Past. Open University Press, Buckingham, 2.ed.

Schimidt, M. A. M. S. 2005. Saber escolar e conhecimento histórico. História e Ensino. v. 11, jul., Londrina: 35-49.

Tauhyl A.P.M.; Gregori, A.M.; Martire, A.; Bina, T. 2015. DOMUS: A utilização de recursos 3D para o ensino da arqueologia romana. In: Fleming, M.I.D’A. (Org.) Perspectivas da Arqueologia Romana Provincial no Brasil. Coleção História e Arqueologia em Movimento. Annablume, São Paulo: 85-103.

Tardiff, M.; Lessard, C. 2005. O Trabalho Docente. Elementos para uma teoria da docência como profissão de interações humanas. 9 ed. Vozes, Petrópolis (RJ).

Publicado
2019-11-21
Como Citar
Gregori, A. (2019). Ciberarqueologia e ensino de História: questões de aprendizagem. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (32), 49-56. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2019.164181