Terminologias e classificações usadas para descrever sepultamentos humanos: exemplos e sugestões

Autores

  • Sergio F.S. Monteiro da Silva Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89712

Palavras-chave:

Metodologias, Arqueologia da Morte, Sepultamentos humanos, Contexto arqueológico

Resumo

A tentativa de uniformização de termos e classificações para descrever e observar contextos arqueológicos de remanescentes esqueletais humanos tem sido uma preocupação recorrente dos arqueólogos e bioantropólogos. Trata-se de estabelecer quais elementos descritivos são importantes ou essenciais para a análise, reconstrução e interpretação de sepultamentos humanos inseridos em substratos e condicionantes culturais diversos. Entre os exemplos de sugestões encontrados na bibliografia consultada, verificou-se que existe sempre uma incidência de determinadas variáveis dos dados mortuários e que, em determinadas análises, é muito expressiva a correlação e a sinergia entre dados dos restos do corpo, dos acompanhamentos funerários e da cova. Descrever e classificar sepultamentos humanos implica em observar o todo dos vestígios funerários no contexto da deposição, incorporando dados bioarqueológicos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sergio F.S. Monteiro da Silva, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Doutor em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia
e Etnologia da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2006-12-14

Como Citar

Silva, S. F. M. da. (2006). Terminologias e classificações usadas para descrever sepultamentos humanos: exemplos e sugestões. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (15-16), 113-138. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89712

Edição

Seção

Artigos