O uso do GIS para entender o sistema de trocas no Egito Antigo e na Núbia: mapas de circulação, uma nova abordagem para as superfícies de custo

Autores

  • José Roberto Pellini Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89720

Palavras-chave:

Egito Antigo, GIS, Sistemas de troca, Comércio

Resumo

Nos últimos anos, análises de custo de superfície têm sido utilizadas na arqueologia para modelar os antigos sistemas de troca. O principal problema relacionado com este tipo de análise é que em geral estes modelos obedecem a uma estrutura interpretativa derivada da moderna teoria econômica, o que reduz a análise de custo a uma questão de racionalização das distâncias. Como a movimentação de pessoas bem como circulação de bens dentro da paisagem é condicionada tanto por aspectos físicos quanto simbólicos, propusemos, em nosso doutorado, mapas de custo de superfície que incorporam não somente fatores físicos mas também fatores sócioculturais. A estes mapas de custo de superfície físico-culturais, agregamos dados sobre a distribuição de objetos arqueológicos dentro da área de estudo. O resultado final é o que denominamos como mapas de circulação, onde cada tipo diferenciado de movimento pode, dependendo da área a ser estudada, evidenciar a presença de diferentes sistemas e esferas de troca.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Roberto Pellini, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Doutor em arqueologia pelo Museu de Arqueologia
e Etnologia da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2006-12-14

Como Citar

Pellini, J. R. (2006). O uso do GIS para entender o sistema de trocas no Egito Antigo e na Núbia: mapas de circulação, uma nova abordagem para as superfícies de custo. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (15-16), 209-245. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89720

Edição

Seção

Artigos