“Teoria da Restauração de Brandi”: uma abordagem para objetos artísticos, arqueológicos e etnográficos

Autores

  • Gedley Belchior Braga Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia. Laboratório de Conservação e Restauro

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89725

Palavras-chave:

Conservação e restauração de objetos arqueológicos e etnográficos, Teoria da restauração, Arte contemporânea, arqueologia e etnologia

Resumo

A teoria da restauração de Brandi foi redigida baseada em dois princípios fundamentais aplicados especificamente para a obra de arte, um objeto que está submetido a um ponto de vista de um juízo crítico de excepcionalidade, dentre todos os demais objetos produzidos pelo ser humano. A arte contemporânea colocou em dúvida todas as possibilidades de definição do que é uma obra de arte. Este artigo, além de refletir sobre o contexto contemporâneo, procura verificar a possibilidade de aplicar essa teoria para o uso da palavra “restauração” para os objetos arqueológicos e etnográficos, colocando-os, dentro do contexto museológico, na mesma perspectiva da obra de arte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2006-12-14

Como Citar

Braga, G. B. (2006). “Teoria da Restauração de Brandi”: uma abordagem para objetos artísticos, arqueológicos e etnográficos. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (15-16), 337-346. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89725

Edição

Seção

Estudos de Curadoria