Um estudo de Arqueologia Regional no médio curso do rio Tocantins, TO, Planalto Central brasileiro

Autores

  • Walter Fagundes Morales Universidade Estadual de Santa Cruz. Núcleo de Estudos e Pesquisas Arqueológicas da Bahia (NEPAB/UESC)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2007.89757

Palavras-chave:

Arqueologia Regional, Análise intra-sítio, Brasil Central, Caçadores e coletores, Ceramistas agricultores, Tocantins

Resumo

Este artigo apresenta alguns dos resultados da pesquisa realizada na bacia do córrego Água Fria, médio curso do rio Tocantins, TO, Brasil. Teve como objetivo identificar os sistemas de assentamento dos grupos sociais que ocuparam a área ao longo do tempo e a forma como esses grupos organizaram o espaço interno de suas áreas de habitação e de atividades. Isso implicou na realização de levantamentos sistemáticos em âmbito regional e intervenções nos 38 sítios arqueológicos identificados. Como resultado elaboramos um modelo interpretativo de organização e uso deste espaço desde há 12.000, quando inicia a ocupação da área por grupos de caçadores e coletores, até o advento dos grupos ceramistas agricultores. Suas conclusões contribuem para as discussões sobre as rotas de povoamento antigo e o surgimento, deslocamentos e crescente complexidade sociopolítica que teria ocorrido entre as sociedades de ceramistas agricultores do Brasil Central e das regiões vizinhas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-03

Como Citar

Morales, W. F. (2007). Um estudo de Arqueologia Regional no médio curso do rio Tocantins, TO, Planalto Central brasileiro. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (17), 69-97. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2007.89757

Edição

Seção

Artigos