A simbologia da transição nas cenas de personagens da realeza calçados no Egito da segunda metade do Reinado Novo

Autores

  • Cássio de Araújo Duarte Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2007.89781

Palavras-chave:

Egito antigo, Arte egípcia, Simbologia das sandálias, Arte funerária.

Resumo

Representações de indivíduos calçados ganham espaço durante o Reinado Novo, quando pela primeira vez, personagens da realeza são ilustrados dessa forma. Somados ao significado e função básicos da proteção do solo e suas impurezas, as sandálias também podem conter ilustrações dos inimigos clássicos do Egito com a finalidade de estes serem submetidos, por meio de um ato de magia simpática, ao controle do rei egípcio. Todavia, em uma série de pinturas desse período que ilustram os monarcas calçados em seus túmulos, podemos encontrar a alusão a um outro significado que, quando cruzado com outras fontes, apontam para iminência da transição para a outra vida. Com o objetivo de destacarmos este aspecto, voltaremos nossos olhos para as representações do túmulo da rainha Nefertari, 19ª dinastia, e de alguns outros exemplos em túmulos do Vale dos Reis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-12-03

Como Citar

Duarte, C. de A. (2007). A simbologia da transição nas cenas de personagens da realeza calçados no Egito da segunda metade do Reinado Novo. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (17), 293-304. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2007.89781

Edição

Seção

Artigos