O temazcal entre passado e presente

Autores

  • Leda Peretti

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2009.89891

Palavras-chave:

Temazcal, Comadronas, Parto, Binômio quente/frio

Resumo

O presente trabalho faz parte de uma reflexão sobre o fenômeno do Ressurgimento Maia e, em especial, sobre o seu desejo de integração entre a medicina tradicional e a medicina oficial. Neste trabalho, a discussão limitou-se às práticas tradicionais das comadronas de língua maia por ocasião do parto e focalizou-se a atenção principalmente no temazcal. Lançando mão da análise histórico-religiosa, indagou-se sobre os significados que esta instituição tinha na época pré-colombiana e delineou-se, ainda que sumariamente, a sua evolução no decorrer do tempo. Em uma relação dialética com a visão de mundo ocidental, o temazcal transformou-se, conforme os resultados a que nos conduziu a nossa análise, de teatro de uma tensão com o inframundo, para permitir que emergisse e fosse posteriormente “re-criada” culturalmente uma nova vida, a lugar que libera o “calor” indispensável ao aquecimento da puérpera, que no parto atinge o seu estado de máximo frio (Guatemala) ou a lugar místico no qual vivenciar um contato com a Mãe Terra (México).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leda Peretti

Graduação em “Religiões dos Povos Primitivos” na Universidade de Roma. Diplomada pela Universidade Iberoamericana de Cidade do México em “Desenvolvimento Sustentável”.

Downloads

Publicado

2009-12-17

Como Citar

Peretti, L. (2009). O temazcal entre passado e presente. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (19), 285-307. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2009.89891

Edição

Seção

Artigos