A morfogênese espacial da antiga Báctria: interações e paradigmas em uma paisagem fractal

Autores

  • Cibele Elisa Viegas Aldrovandi Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2010.89920

Palavras-chave:

Báctria, Ai-Khanum, Morfogênese do espaço, Ambiente construído, Paisagem fractal

Resumo

A partir dos resultados das escavações e das prospecções arqueológicas realizadas na década de 1970 na porção oriental da antiga Báctria, apresentamos uma análise quantitativa acerca da morfogênese espacial desta região, em uma escala sincrônica, perfazendo aproximadamente três milênios de história da Ásia Central, a partir da Idade do Bronze até o Período Kushan. Esse quadro analítico, baseado em uma perspectiva da Arqueologia do Espaço, permite examinar o impacto do advento greco-bactriano nesta paisagem, assim como avaliar algumas das principais questões que permeiam o discurso paradigmático acerca da interação entre os gregos e as demais populações que habitaram a Báctria na antiguidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cibele Elisa Viegas Aldrovandi, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

Pós-doutorado pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo

Downloads

Publicado

2010-12-09

Como Citar

Aldrovandi, C. E. V. (2010). A morfogênese espacial da antiga Báctria: interações e paradigmas em uma paisagem fractal. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (20), 163-196. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2010.89920

Edição

Seção

Artigos