Electra e Orestes: reconhecimento e espaço na tragédia grega

Autores

  • Márcia Cristina Lacerda Ribeiro Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2010.89933

Palavras-chave:

Cenas de reconhecimento, Epaço, Tragédia grega, Electra

Resumo

Este texto objetiva, inicialmente, levantar alguns aspectos sobre o reconhecimento (anagnórisis) entre Electra e Orestes à luz da Poética de Aristóteles; num segundo momento, refletir sobre o espaço construído onde se passam tais cenas. A cena de reconhecimento entre Electra e Orestes é nos proporcionada pelos três trágicos cujas peças chegaram completas atés nós: Ésquilo (Coéforas), Sófocles (Electra) e a tragédia homônima de Eurípedes (Electra).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Cristina Lacerda Ribeiro, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Mestranda em História Econômica pela Faculdade de Filosofia, História e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo. Bolsita CNPq. Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Downloads

Publicado

2010-12-09

Como Citar

Ribeiro, M. C. L. (2010). Electra e Orestes: reconhecimento e espaço na tragédia grega. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (20), 251-276. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2010.89933

Edição

Seção

Artigos