Cidades Saudáveis: uma forma de abordagem ou uma estratégia de ação em saúde urbana?

  • Marcia Faria Westphal Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Prática de Saúde Pública
  • Sandra Costa Oliveira Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública.
Palavras-chave: promoção da saúde, saúde urbana, Cidades Saudáveis

Resumo

Este artigo apresenta o referencial no qual a estratégia de Cidades Saudáveis, proposta pela OMS, se apoia. Apresenta dados da realidade urbana brasileira atual que indicam a necessidade de mudar o enfoque de intervenção em saúde urbana, tendo em vista a complexidade dos problemas e das estratégias necessárias para ampliar o desenvolvimento das potencialidades locais. Comenta a metodologia de desenvolvimento do projeto, que tem sido construída e reconstruída em função do referencial de abordagem: compromisso das autoridades locais com políticas públicas intersetoriais, empoderamento da população e busca de equidade social. Responde à questão inicial de que essa é uma forma de abordagem que exige novas estratégias de ação em saúde urbana

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Faria Westphal, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública. Departamento de Prática de Saúde Pública
é professora titular sênior do Departamento de Prática de Saúde Pública da Faculdade de Saúde Pública da USP e pesquisadora do Centro de Estudos, Pesquisa e Documentação em Cidades Saudáveis (Cepedoc)
Sandra Costa Oliveira, Universidade de São Paulo. Faculdade de Saúde Pública.
é doutoranda em Saúde Global e Sustentabilidade pela Faculdade de Saúde Pública da USP e pesquisadora do Centro de Estudos, Pesquisa e Documentação em Cidades Saudáveis (Cepedoc)
Publicado
2015-12-17
Como Citar
Westphal, M., & Oliveira, S. (2015). Cidades Saudáveis: uma forma de abordagem ou uma estratégia de ação em saúde urbana?. Revista USP, (107), 91-102. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i107p91-102
Seção
Dossiê "Saúde Urbana"