A arte de compor canções

  • Luiz Tatit Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Linguística
Palavras-chave: melodia e letra, música e fala, composição de canções, linguagem, sentido

Resumo

Na falta de informações técnicas sobre o modo de compor dos cancionistas, este artigo recorre a depoimentos de compositores que revelam, a partir de estratégias criativas bastante particulares, uma forte consciência da linguagem em que atuam. De fato, a prática de unir melodia e letra difere de maneira substancial das experiências musical e literária, quando consideradas isoladamente. Isso porque o encontro dos dois componentes gera melodias prosódicas (e não apenas musicais) que respondem, em boa parte, pela capacidade de persuasão da linguagem. Além disso, outras formas de compatibilidade entre melodia e letra (como a tematização e a passionalização) sustentam o sentido da canção, o que dispensa muitas vezes a necessidade de coerência verbal de suas letras

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luiz Tatit, Universidade de São Paulo. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Departamento de Linguística
é professor titular do Departamento de Linguística da FFLCH-USP
Publicado
2016-12-16
Como Citar
Tatit, L. (2016). A arte de compor canções. Revista USP, (111), 11-20. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i111p11-20
Seção
Dossiê música popular brasileira na usp