O arranjo como estrutura e tecido do discurso musical

Autores

  • Gil Jardim Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes. Departamento de Música

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i111p45-58

Palavras-chave:

arranjo, orquestra, música popular brasileira, Rogério Duprat, Chico Buarque

Resumo

Este artigo focaliza atributos de uma categoria de arranjo musical que se tornam informações indissociáveis da canção para a qual foi feito, desempenhando um papel significativo no plano composicional da obra. O planejamento estrutural de determinado arranjo, assim como a definição da textura sonora que sustentará a melodia, passam as ser parâmetros que identificam a própria canção. O arranjo de Rogério Duprat para a canção “Construção”, de Chico Buarque de Holanda, é o trabalho escolhido para desenvolver as análises

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gil Jardim, Universidade de São Paulo. Escola de Comunicações e Artes. Departamento de Música

é diretor artístico e regente titular da Orquestra de Câmara da ECA-USP e professor livredocente do Departamento de Música da ECA-USP

Downloads

Publicado

2016-12-16

Como Citar

Jardim, G. (2016). O arranjo como estrutura e tecido do discurso musical. Revista USP, (111), 45-58. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i111p45-58

Edição

Seção

Dossiê música popular brasileira na usp