“O mundo tá chato”: algumas notas sobre a dimensão sociocognitiva do politicamente correto na linguagem

  • Edwiges Morato Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem. Departamento de Linguística
  • Anna Christina Bentes Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem. Departamento de Linguística
Palavras-chave: politicamente correto, práticas de linguagem, reflexividade social, sociocognição.

Resumo

Tendo por escopo questões que se colocam na interação entre linguagem, cognição e sociedade, este ensaio tem o objetivo de refletir sobre os sentidos sociocognitivos do politicamente correto, considerando determinadas práticas discursivas no contexto brasileiro contemporâneo. A tese que defendemos neste ensaio é a de que o politicamente correto, como regulador de práticas discursivas e sociais, pode ser tomado num sentido fraco – como um recurso pragmático fundamentalmente associado à tentativa de promover um grau alto de reflexividade dos atores sociais em relação à produção de determinadas categorizações e/ou enunciados – ou num sentido forte – tanto como um sistema normativo, capaz de assinalar regimes simbólicos desejáveis da vida em sociedade, quanto um norteador de situações a serem superadas, como a desigualdade social, a injustiça, o preconceito, a discriminação, a violência.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edwiges Morato, Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem. Departamento de Linguística
professora do Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp.
Anna Christina Bentes, Universidade Estadual de Campinas. Instituto de Estudos da Linguagem. Departamento de Linguística
professora do Departamento de Linguística do Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp.
Publicado
2017-12-09
Como Citar
Morato, E., & Bentes, A. C. (2017). “O mundo tá chato”: algumas notas sobre a dimensão sociocognitiva do politicamente correto na linguagem. Revista USP, (115), 11-28. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i115p11-28
Seção
Dossiê politicamente correto