Erguer a voz, não passar a vez: mulheres negras periféricas e os desafios da vida acadêmica

  • Elânia Francisco Lima
Palavras-chave: raça, classe, gênero, ambiente acadêmico

Resumo

O presente artigo é uma versão prévia de uma discussão que pretende ser mais profunda em breve. Nele proponho uma reflexão sobre os desafios enfrentados por mulheres negras periféricas no ambiente acadêmico que, cotidianamente, reproduz uma estrutura racista, machista e capitalista dificultando o acesso e permanência de mulheres negras, sobretudo as pobres, nas universidades, impondo barreiras subjetivas na construção da vida acadêmica. Essas opressões em intersecção podem fazer com que mulheres negras silenciem e, consequentemente, adoeçam ou se paralisem diante das violências sofridas nos espaços de produção de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2019-09-25
Como Citar
Lima, E. (2019). Erguer a voz, não passar a vez: mulheres negras periféricas e os desafios da vida acadêmica. Revista USP, (122), 41-48. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i122p41-48
Seção
dossiê feminismos