ESPAÇOS DE SUBORDINAÇÃO E CONTESTAÇÃO NAS REDES SOCIAIS

  • GISELLE BEIGUELMAN Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU-USP.
Palavras-chave: mídias sociais, Web 2.0, ativismo, hacktivismo, publicidade direcionada.

Resumo

Este artigo aborda as ambivalências das redes sociais como espaços de controle e de potencialização de novas articulações socioculturais. Destaca procedimentos de colonização da percepção e corporativização das subjetividades, embutidos em recursos de publicidade direcionada presentes em contextos como o do Facebook, e contrapõe a eles projetos de redes alternativas e operações ativistas. Parte-se da constatação de que as redes sociais são um dos elementos característicos da cultura urbana contemporânea, para investigar de que formas suas tensões implicam tanto dinâmicas de estriamento (estratificação e apropriação) do espaço informacional, como de liberação de seus devires e potências em aberto. Conclui-se que essas redes são hoje constitutivas das possibilidades de mudança cultural, mudanças essas que são operacionalizadas por movimentos sociais, ao propor e desencadear descontinuidades com as relações de poder embutidas na ecologia midiática atual.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

GISELLE BEIGUELMAN, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU-USP.
Midiartista, professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo FAU-USP e autora de, entre outros, Link-se: Arte/Mídia/Política/
Cibercultura(Peirópolis).
Publicado
2012-02-28
Como Citar
BEIGUELMAN, G. (2012). ESPAÇOS DE SUBORDINAÇÃO E CONTESTAÇÃO NAS REDES SOCIAIS. Revista USP, (92), 20-31. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.v0i92p20-31
Seção
Dossiê