Inteligência artificial e direitos da personalidade

uma contradição em termos?

  • Eduardo Tomasevicius Filho
Palavras-chave: Inteligência artificial, Direitos da personalidade, Direito à privacidade, Internet, Controle social

Resumo

A inteligência artificial surgiu concomitantemente com a eletrônica e a ciência da computação na década de 1950. Tem sido aplicada cada vez mais em diversas áreas e potencializou-se com a maior capacidade de armazenamento e tráfego de dados pela Internet. Todavia, especialmente em 2018, ampliou-se a percepção da sociedade para os efeitos positivos e negativos do emprego dessa tecnologia, do ponto de vista não apenas político, mas também dos direitos da personalidade, sobretudo o direito à privacidade. Neste artigo, faz-se a apresentação da inteligência artificial, os problemas que esta pode causar às pessoas e os desafios dos direitos da personalidade na defesa da dignidade humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-12-21
Como Citar
Tomasevicius Filho, E. (2018). Inteligência artificial e direitos da personalidade. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 113, 133-149. https://doi.org/10.11606/issn.2318-8235.v113i0p133-149
Seção
Trabalhos Acadêmicos