Periculum rei venditae e periculum dotis aestimatae

  • Eduardo Cesar Silveira Vita Marchi
Palavras-chave: Risco de compra, Comprador, Entrega de mercadoria.

Resumo

A ampla maioria da doutrina romanística, como se sabe, atribui ao Direito Romano clássico o princípio periculum est emptoris, pelo qual o risco ou o periculum (decorrente do perecimento casual da coisa vendida) caberia, já desde a celebração do contrato (e, portanto, antes mesmo da entrega da mercadoria), ao comprador. O autor, neste artigo, contrariando a communis opinio, procura, através da análise de fragmentos em matéria de dos aestimata, demonstrar que, ao contrário, no Direito Romano clássico, a chamada "solução germânica" (adotada também pelo Código Civil brasileiro), na qual o comprador suporta o risco apenas a partir do momento da traditio ou entrega da merx, teria exercido um papel fundamental em não poucos textos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1998-01-01
Como Citar
Marchi, E. C. S. V. (1998). Periculum rei venditae e periculum dotis aestimatae. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 93, 25-57. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67398
Seção
Não definido