A filosofia espírita. O direito natural. O direito justo

  • Antonio Augusto Machado de Campos Neto
Palavras-chave: Filosofia Espírita, Espiritismo, Espírita, Espiritualismo, Cristianismo, Ciência Espírita, Direito Natural, Direito Justo.

Resumo

A Filosofia Espírita é a Episteme, a Ciência Metodológica, isto é, o caminho que envolve a razão e a fé em entrelaçamento de idéias claras e distintas, nos mesmos moldes de René Descartes, em que a verdade emerge na expressão legítima da sua essencialidade transparente (o chamado “manto diáfano”), sem fantasia, porém da mais pura e verdadeira realidade. A Filosofia Espírita tem, ainda, estreitas ligações com a tradição filosófica do Realismo Metafísico que parte de Parmênides, tomando o Ser, com o qual identifica o Espírito junto às suas respectivas qualidades; todavia, cada Ser ou Espírito com sua unicidade, eternidade, infinitude e imutabilidade na intimidade da própria essência criada. O Direito Natural e o Direito Justo complementam este trabalho, uma vez implícitos à essência da Filosofia e seus temas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-01-01
Como Citar
Campos Neto, A. A. M. de. (2007). A filosofia espírita. O direito natural. O direito justo. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 102, 617-660. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67773
Seção
Filosofia do Direito