Uma caracterização do poder revolucionário

  • Carlos Frederico Ramos de Jesus
Palavras-chave: Poder, Revolução, Fenomenologia, Ação, Violência, Hannah Arendt, Antonio Negri, Liberalismo, Democracia.

Resumo

O poder revolucionário, visto nas suas manifestações concretas, deriva da capacidade do ser humano para a ação, que possibilita a criação de algo novo. O novo não necessita da violência para surgir; por isso, o poder revolucionário não traz consigo, necessariamente, a força. A finitude ou-não deste poder é questão que determina se a revolução pode deliberar sempre sobre tudo ou se estas decisões devem ser restritas a um certo ínterim.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2007-01-01
Como Citar
Jesus, C. F. R. de. (2007). Uma caracterização do poder revolucionário. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 102, 969-980. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67783
Seção
Trabalhos Acadêmicos de Pós-Graduação