Reflexões sobre desafios de um direito cosmopolita sustentado pela solidariedade: a questão da vulnerabilidade nos paradigmas das modernidades sólida e líquida

  • Carla Pereira da Silva
Palavras-chave: Cosmopolitismo, Tolerância, Solidariedade, Ambivalência, Vulnerabilidade, Modernidade Sólida, Modernidade Líquida.

Resumo

O presente estudo realiza exercício filosófico de reflexão investigativa a respeito do Cosmopolitismo, considerando suas fundamentações na neutralidade da coexistência, na tolerância e na solidariedade da defesa do direito do outro a sua diferença. Partindo-se do modelo líquido-moderno – cujas considerações baseiam-se em teoria do sociológo Zygmunt Bauman – e considerando-o fortemente imbuída de elementos sólido-modernos, arquiteta-se conjuntura em que o individualismo sobrepuja às forças gregárias da humanidade. O intuito essencial dos apontamentos realizados admite-se, primeiramente, como a demonstração da dificuldade da sociedade humana em realizar compartilhamentos com a Diferença, com a Ambivalência, preconizando, em segundo lugar, a construção paulatina de uma convivência humana alicerçada na Solidariedade, ou seja, no Autocomprometimento. O Objetivo é um verdadeiro e efetivo Direito Cosmopolita como forma de superação da Situação de Vulnerabilidade em que são colocados os seres humanos neutralizados pela luta mercadológica cotidiano pela satisfação, quando inexistente a real felicidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2009-01-01
Como Citar
Silva, C. P. da. (2009). Reflexões sobre desafios de um direito cosmopolita sustentado pela solidariedade: a questão da vulnerabilidade nos paradigmas das modernidades sólida e líquida. Revista Da Faculdade De Direito, Universidade De São Paulo, 104, 875-900. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rfdusp/article/view/67880
Seção
Trabalhos Acadêmicos