A Insuficiência de Políticas Públicas Nacionais Pró-Biodiversidade Amazônica

Autores

  • Ricardo Teixeira Gregório de Andrade IFRO
  • Ângelo Gilberto Manzatto UNIR

Resumo

O presente artigo tem por objetivo avaliar os graus de eficiência e suficiência das políticas públicas e investimentos do governo brasileiro destinados ao uso sustentável e conservação da biodiversidade nacional, com foco no bioma amazônico. A perspectiva utilizada foi analisar a trajetória de inserção e execução de marcos legais, diretrizes orçamentárias e investimentos em Ciência, Tecnologia & Inovação atinentes, desde a década de 1990. Corroborada pelos dados socioambientais resultantes (cenário atual), a análise indica a insuficiência e ineficiência do direcionamento e consecução das ações. Apesar da posição central ocupada pela Amazônia quanto à biodiversidade mundial, as políticas públicas estatais são ainda tímidas, fragmentadas e de baixo impacto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ricardo Teixeira Gregório de Andrade, IFRO

Professor do IFRO; Mestre em Engenharia de Produção - UFRN; Biólogo - UFRN; Gestor Ambiental - IFRN.

Ângelo Gilberto Manzatto, UNIR

Doutor em Biologa - UNESP. Professor Adjunto - UNIR e Coordenador do PPBio-Nucleo Rondonia e do Comite Gestor do INCT-Cenbam.

Downloads

Publicado

2014-12-15

Como Citar

Andrade, R. T. G. de, & Manzatto, Ângelo G. (2014). A Insuficiência de Políticas Públicas Nacionais Pró-Biodiversidade Amazônica. Revista Gestão & Políticas Públicas, 4(2), 219-239. Recuperado de http://www.revistas.usp.br/rgpp/article/view/114324