Eternos aprendizes de perpétuos fazeres: uma análise sobre a docência para o ensino superior e o pensamento constitucional brasileiro

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/rg&pp.v6i1.133663

Palavras-chave:

educação, formação de professores, professor universitário, ensino superior, Brasil

Resumo

A formação docente vindica movimentos perpétuos entrelaçados à própria vida dos professores e das professoras. Eternos aprendizes de um mundo em constantes transformações, conjugando suas trajetórias de vida pessoais e formativas com as práticas docentes. Aprendizado ininterrupto e tanto mais avolumado, quanto maior a compreensão de que possuir a palavra em uma sala de aula, constitui-se num importante lugar político. A proposta deste trabalho é pensar acerca dos deslocamentos do processo de formação profissional do docente de educação superior, e, sobre a multiplicidade dos fazeres que tomam parte no cotidiano desses profissionais na contemporaneidade. Para tal, foi realizada uma análise de documentos históricos que influenciaram as políticas públicas educacionais brasileiras. Apresentaremos algumas articulações entre a formação para a docência no ensino superior; a multidimensionalidade dessa profissão na contemporaneidade; e, alguns movimentos do pensamento constitucional brasileiro acerca do trabalho e da formação para a docência nas cartas magnas, e, na Lei 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ingrid Rodrigues Gonçalves, Universidade de São Paulo

Mestranda em Educação - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - USP. Bacharela em Gestão de Políticas Públicas - Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo - EACH, USP. São Paulo, SP – Brasil. 

Pedro Paulo Ferreira Felippe da Silva, Universidade de São Paulo

Graduado em Ciências Sociais e Mestrando em Educação pela Universidade de São Paulo. São Paulo, SP – Brasil. 

Omar Calazans Nogueira Pereira, Universidade de São Paulo

Mestrando em Psicologia Social no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP). Psicólogo e licenciado em Psicologia pela USP. São Paulo, SP - Brasil.

Maiara de Souza Benedito, Universidade de São Paulo

Mestranda em Psicologia Social e do Trabalho pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP – Brasil. 

Juan Tomás Arregui Nisivoccia, Universidade de São Paulo

Mestrando em Psicologia Social e do Trabalho, pela Universidade de São Paulo. São Paulo, SP – Brasil. Graduação em Psicologia, pelo Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas, FMU, Brasil. 

Downloads

Publicado

2016-03-14

Como Citar

Gonçalves, I. R., Felippe da Silva, P. P. F., Pereira, O. C. N., Benedito, M. de S., & Nisivoccia, J. T. A. (2016). Eternos aprendizes de perpétuos fazeres: uma análise sobre a docência para o ensino superior e o pensamento constitucional brasileiro. Revista Gestão & Políticas Públicas, 6(1), 98-117. https://doi.org/10.11606/rg&pp.v6i1.133663