Um olhar psicopolítico acerca de atitudes de graduandos em Psicologia

Autores

  • Maria Amélia Gullnitz Zampronha GEPSIPOLIM - EACH - USP PUC - SP

DOI:

https://doi.org/10.11606/rg&pp.v6i1.144421

Palavras-chave:

preconceito, narcisismo, racionalidade tecnológica, escala Likert, Psicologia Política

Resumo

O presente artigo apresenta parte dos resultados de uma pesquisa realizada com estudantes de graduação em Psicologia, com o objetivo investigar sua experiência de relacionamento social, considerando três aspectos, definidos como categorias de análise: preconceito, racionalidade tecnológica e narcisismo. Já que o objeto de estudo da Psicologia é o indivíduo, considerado em suas relações com a sociedade, espera-se que o psicólogo seja capaz de perceber-se e diferenciar-se dos outros indivíduos, de percebê-los e diferenciá-los entre si e de refletir criticamente acerca dos contextos social, econômico, cultural e político em que está inserido. Este estudo fundamenta-se na teoria crítica da sociedade e na Psicologia Política. O método compreende a aplicação de uma escala Likert, denominada escala de Experiência com o outro (escala E), e o tratamento estatístico dos resultados. A escala E é dividida em três subescalas, de preconceito, de racionalidade tecnológica e de narcisismo, e avalia as atitudes e opiniões dos sujeitos em relação às três categorias de análise, compreendendo que elas podem permear e interferir na experiência de relacionamento social. Um alto escore na escala E indica prejuízo da experiência espontânea. Os sujeitos são 72 alunos do curso de graduação em Psicologia, de uma faculdade privada da cidade de São Paulo. A hipótese principal previa que a amostra teria uma pontuação maior na subescala de preconceito. Verificou-se que a amostra tende a expressar maiores graus de preconceito e adesão à racionalidade tecnológica e menor grau de narcisismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Amélia Gullnitz Zampronha, GEPSIPOLIM - EACH - USP PUC - SP

É Doutora em Educação: História, Política, Sociedade, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2017). Possui graduação em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (2003). Cursou formação em Gestalt-terapia no Instituto Gestalt de São Paulo (2011). É Mestre pelo PEPG em Educação: História, Política, Sociedade, da PUC-SP (2012). Em 2016 realizou uma Estadia de Pesquisa para Doutorandos na Westfälische Wilhelms-Universität (University of Münster), Alemanha, com bolsa de estudos do DAAD em cooperação com o CNPq. Faz parte do grupo de pesquisa Psicologia Política, Políticas Públicas e Multiculturalismo (EACH-USP) e do Grupo de Trabalho de História Social da Psicologia (GT-HSP) da ANPEPP. Atua principalmente nos seguintes temas: Psicologia Social, História da Psicologia, Psicologia Política, Educação e teoria crítica.

Downloads

Publicado

2018-03-17

Como Citar

Gullnitz Zampronha, M. A. (2018). Um olhar psicopolítico acerca de atitudes de graduandos em Psicologia. Revista Gestão & Políticas Públicas, 6(1), 20-43. https://doi.org/10.11606/rg&pp.v6i1.144421