Travessia do Sertão

refazendo a viagem de Spix e Martius de 1818

Palavras-chave: Viagens e explorações científicas, Spix e Martius, viagem pelo Brasil

Resumo

Por ocasião do bicentenário da viagem dos naturalistas alemães Spix e Martius pelo Brasil (1817-1820), dois pesquisadores e dois cineastas refizeram, em julho de 2018, um trecho daquela expedição: a travessia do sertão de Minas Gerais até a fronteira com Goiás e com a Bahia. O principal objetivo foi estudar as continuidades e as mudanças ocorridas ao longo desses 200 anos. Estes foram os lugares visitados: 1) o distrito das Minas Novas; 2) o sertão, do rio Jequitinhonha via Montes Claros e Brasília de Minas até o rio São Francisco; 3) a cidade de Januária e o Parque Nacional do Peruaçu; 4) a Serra das Araras e a Chapada Gaúcha; 5) o caminho, via Ribeirão dos Bois, rio Carinhanha e Parque Nacional Grande Sertão Veredas, até a fronteira com Goiás; 6) a volta até o rio São Francisco, nas cidades de Carinhanha e Malhada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Willi Bolle, Universidade de São Paulo (USP, São Paulo, SP, Brasil)

Professor titular de Literatura Alemã da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP).

Eckhard Ernst Kupfer, Instituto Martius-Staden (São Paulo, SP, Brasil)

Diretor do Instituto Martius-Staden de Ciências, Letras e Intercâmbio Cultural Brasileiro-Alemão.

Publicado
2019-04-17
Como Citar
Bolle, W., & Kupfer, E. (2019). Travessia do Sertão. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (72), 19-46. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i72p19-46
Seção
Artigos