Cidade, história e segregação socioespacial no romance O moleque Ricardo, de José Lins do Rego

Palavras-chave: História e literatura, cidade e ficção, José Lins do Rego

Resumo

O artigo detém-se no exame do quarto romance de autoria do escritor José Lins do Rego, procurando mostrar de que maneira, nele, o narrador se desvencilha da paisagem canavieira do interior do Nordeste, e apresenta como locus central de sua ficção o cenário de uma grande cidade nordestina, mais precisamente, a Recife do início dos anos 1920. Procura-se evidenciar a  maneira pela qual o escritor deslinda a ambiência turbulenta e excludente de uma cidade grande, com seus tipos urbanos subalternos, com a exploração social do trabalho e com seus conflitos políticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bernardo Buarque de Hollanda, Fundação Getúlio Vargas (FGV, São Paulo, SP, Brasil)

Professor adjunto e pesquisador do Centro de Pesquisa e Documentação em História Contemporânea do Brasil
da Fundação Getúlio Vargas (CPDOC/FGV). Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq.

Regiane Matos, Fundação Getúlio Vargas (FGV, São Paulo, SP, Brasil)

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais do CPDOC/FGV. Bolsista de doutorado da Capes.

Publicado
2019-04-17
Como Citar
Hollanda, B., & Matos, R. (2019). Cidade, história e segregação socioespacial no romance O moleque Ricardo, de José Lins do Rego. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (72), 106-124. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i72p106-124
Seção
Artigos