Rastros de cinema na teia literária urbana de Caio Fernando Abreu

Palavras-chave: Cultura urbana, urbanização e literatura, simulacro eindústria cultural, Caio Fernando Abreu e rastros de cinema

Resumo

A meta é verificar de que forma os rastros de cinema são tecidos nos fios literários de “Pela noite”, de Caio Fernando Abreu, e por que seus personagens olham o mundo como se fosse cinema. Seriam reflexos da própria conversão do mundo contemporâneo em rastros de cinema e/ou de simulacros, que incluem também outros elos da indústria cultural? Seriam reflexos de uma experiência urbana percebida como telas em movimento, fruto de vivências mediadas por vidros, janelas e para-brisas como se fossem lentes de câmeras? A novela é o ponto de partida para se repensar o quanto a indústria cultural tem alterado o comportamento humano, estabelecendo novas relações entre sujeito, mundo material e aparelhos destinados à reprodutibilidade técnica
das imagens.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Linda Kogure, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES, Vitória, ES, Brasil)

Pós-doutoranda (bolsista da Capes) em Arquitetura e Urbanismo pelo Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Espírito Santo (PPGAU/UFES).

Milton Esteves Junior, Universidade Federal do Espírito Santo (UFES, Vitória, ES, Brasil)

Doutor pela Universidade Politécnica da Catalunha (Barcelona) e professor do PPGAU/UFES.

Publicado
2019-04-17
Como Citar
Kogure, L., & Esteves Junior, M. (2019). Rastros de cinema na teia literária urbana de Caio Fernando Abreu. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (72), 184-199. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i72p184-199
Seção
Artigos