A inautenticidade como inflexão no esquema de Schwarz

Palavras-chave: Inautenticidade, inflexão lógica e sociocultural, regime de autoria, Machado de Assis, Roberto Schwarz

Resumo

Este artigo tem o propósito de ensaiar uma reflexão sobre o lugar-chave ocupado pela inautenticidade como termo de inflexão lógica e sociocultural na formação do regime de autoria artístico-literária no país. Assim, tal como proposto em Ao vencedor as batatas e Um mestre na periferia do capitalismo, examino a contrapartida estabelecida por Schwarz entre a montagem do espaço literário no país e a peculiaridade própria à escrita machadiana, quando esta entrosa cosmopolitismo e localidade no seu discurso. Na parte final do texto rastreio sugestões a respeito das condições de possibilidade sobre a posição de autoria artística singularizada na figura do mesmo Machado de Assis.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Edson Farias, Universidade de Brasília (UnB, Brasília, DF, Brasil)

Edson Farias é pesquisador do CNPq, professor do Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB) e do Programa de Pós-Graduação em Memória: Sociedade e Linguagem da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), líder do grupo de pesquisa Cultura, Memória e Desenvolvimento (CMD/UnB) e editor da revista Arquivos do CMD.  

Publicado
2019-12-10
Como Citar
Farias, E. (2019). A inautenticidade como inflexão no esquema de Schwarz. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (74), 33-60. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i74p33-60
Seção
Dossiê: Leituras, leitores e lugares de Roberto Schwarz