Dois críticos, uma semana, um século

Palavras-chave: Roberto Schwarz, Antonio Candido, intérpretes do Brasil

Resumo

Não é comum, em lugar algum, que dois críticos literários surjam entre os melhores explicadores de uma nação por quase um século. Partindo da analise schwarziana do método crítico de Antonio Candido, o ensaio explora as relações de afinidade e de diferenciação dos dois críticos literários confrontados em dois momentos decisivos: o modernismo e o legado de 1930 e o desenvolvimentismo (e seu fracasso) desde o Golpe de 1964.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Alambert, Universidade de São Paulo (USP, São Paulo, SP, Brasil)

Francisco Alambert é professor do Departamento de História da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH/USP).

Tiago Ferro, Universidade de São Paulo (USP, São Paulo, SP, Brasil)

Tiago Ferro é doutorando do Programa de Pós-Graduação em História da FFLCH/USP.

Publicado
2019-12-10
Como Citar
Alambert, F., & Ferro, T. (2019). Dois críticos, uma semana, um século. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (74), 162-177. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i74p162-177
Seção
Dossiê: Leituras, leitores e lugares de Roberto Schwarz