A crítica engajada de Paulo Emílio

cinema, subdesenvolvimento e seus impasses

Palavras-chave: Paulo Emílio Sales Gomes, cinema brasileiro, subdesenvolvimento, intelectual engajado

Resumo

Este artigo propõe uma análise dos debates em torno da noção de subdesenvolvimento no campo cultural brasileiro, nos anos 1960 e 1970, a partir do ensaio de Paulo Emílio Sales Gomes, “Cinema: trajetória no subdesenvolvimento” (1973). O cotejamento com artigos de Glauber Rocha (1965), Antonio Candido (1973) e Ferreira Gullar (1969) indica diferenças fundamentais no tratamento do problema. Enquanto Paulo Emílio via o subdesenvolvimento como estrutura a ser superada pelo campo cinematográfico, os demais autores recorriam ao conceito para expressar as precariedades estéticas da produção cultural do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauricio Cardoso, Universidade de São Paulo

Mauricio Cardoso é professor do Departamento de História da Universidade de São Paulo (USP) e membro do Diversitas – Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH/USP).

Leandro Rocha Saraiva, Universidade Federal de São Carlos (UFSCar)

Leandro Rocha Saraiva é professor do Departamento de Artes e Comunicação da Universidade Federal de São Carlos (DAC/UFSCar).

Publicado
2020-04-28
Como Citar
Cardoso, M., & Saraiva, L. (2020). A crítica engajada de Paulo Emílio. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, 1(75), 129-143. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v1i75p129-143
Seção
Artigos