O modernismo nas restaurações do SPHAN modernidade, universalidade, brasilidade

  • Márcia Chuva Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UFRJ
Palavras-chave: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, modernismo, universalismo, brasilidade, restauração arquitetônica

Resumo

Este artigo analisa o modernismo que se expressa nas restaurações realizadas pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN) e o papel seminal do arquiteto Lucio Costa na definição de procedimentos de restauro e na legitimação das hierarquias estabelecidas entre diferentes instâncias técnicas da instituição. Serão analisados procedimentos que naturalizaram o predomínio do valor estético sobre outras possibilidades de atribuição de valor de patrimônio e de tratamento dos vestígios materiais protegidos. As viagens, constituintes das rotinas dos trabalhos de restauração, produziram um vasto acervo documental, como os relatórios de obras, fotografias e correspondência aqui privilegiados. Ao final, serão apontados possíveis caminhos de interpretação dos efeitos de tais práticas na preservação do patrimônio cultural no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Márcia Chuva, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UFRJ
Professora adjunta do Departamento de História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro UFRJ
Publicado
2012-09-01
Como Citar
Chuva, M. (2012). O modernismo nas restaurações do SPHAN modernidade, universalidade, brasilidade. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (55), 89-107. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i55p89-107
Seção
Artigos