Crise e definhamento das tradicionais ordens monásticas brasileiras durante o século XIX

  • Augustin Wernet Universidade de São Paulo / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Palavras-chave: catolicismo brasileiro, europeização, romanização, ordens monásticas brasileiras, bispos reformadores, novas congregações.

Resumo

Em meados do século XIX percebe-se, no Brasil, uma lenta mais contínua substituição do tradicional catolicismo luso-brasileiro por um catolicismo europeizado como aquele dos países centrais da Europa e com forte ação centralizadora de Roma. Por causa disso, fala-se da europeização e romanização do catolicismo brasileiro. Agentes desta transformação foram sobretudo os bispos reformadores e as novas congregações religiosas que, dentro de um processo de nova expansão missionária, vieram ao Brasil. Neste artigo mostra-se de que modo as tradicionais ordens monásticas existentes no Brasil foram afetadas por esse processo. Estas ordens encontravam-se em plena decadência desde as reformas pombalinas, sofreram ainda o impacto da emancipação política antimonástica do Governo Imperial. Somente no período republicano,  estas tradicionais ordens monásticas foram reformadas e reavivadas pela vinda de monges europeus: belgas, holandeses e alemães.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Augustin Wernet, Universidade de São Paulo / Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas
Professor do Departamento de História - FFLCH/USP.
Publicado
1997-01-31
Como Citar
Wernet, A. (1997). Crise e definhamento das tradicionais ordens monásticas brasileiras durante o século XIX. Revista Do Instituto De Estudos Brasileiros, (42), 115-131. https://doi.org/10.11606/issn.2316-901X.v0i42p115-131
Seção
Artigos