O Plano de Saneamento de Saturnino de Brito para Santos: construção e crise da cidade moderna

  • José Marques Carriço Universidade Católica de Santos
Palavras-chave: História do urbanismo, Planejamento urbano, Sanitarismo

Resumo

O Plano de Saneamento de Saturnino de Brito para Santos viabilizou a expansão da cidade, constituindo-se em seu referencial urbano mais importante. Seu sistema de canais consolidou excelente padrão sanitário nas novas áreas urbanizadas. Mas com a industrialização do Brasil, Santos cresceu aceleradamente, voltando a piorar suas condições sanitárias. Este quadro resultou em mudança da operação do sistema, nos anos 1990, em princípio recuperando a balneabilidade das praias. Contudo, as condições sanitárias voltaram a piorar, suscitando a rejeição aos canais, por setores da sociedade. Assim, procura-se evidenciar a importância da preservação dos canais, possibilitando recuperar a excelência ambiental da cidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

José Marques Carriço, Universidade Católica de Santos
Arquiteto e Urbanista, doutor em Planejamento Urbano e Regional pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, docente e pesquisador da Universidade Católica de Santos, Avenida Conselheiro Nébias, 300, Vila Matias, Santos, SP, CEP 11015-002, (13) 3205-5555
Publicado
2016-12-19
Como Citar
Carriço, J. (2016). O Plano de Saneamento de Saturnino de Brito para Santos: construção e crise da cidade moderna. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), (22), 30-46. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v0i22p30-46
Seção
Núcleo temático