Um paradoxo patrimonial: a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro

  • Roberto Segre (in memorium)
  • João Henrique dos Santos Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Estela Maris de Souza Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Rio de Janeiro, História urbana, Catedral Metropolitana

Resumo

A Catedral do Rio de Janeiro foi construída na Esplanada de Santo Antônio na segunda metade do século XX. A nova Catedral rompe com a tipologia das igrejas coloniais e traz a influência das pirâmides maias em um edifício moderno. A Esplanada de Santo Antônio traduz a grande ruptura que o tecido urbano sofreu nessa área onde é significativo o contraste entre o passado e o presente deixando em aberto o desafio de integrá-los em um conjunto patrimonial que recupere os valores humanísticos que sempre caracterizaram a cidade do Rio de Janeiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Segre, (in memorium)
Arquiteto e Urbanista, doutorado em História da Arte pela Universidade de Havana, Cuba, doutorado em Urbanismo no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano da Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, Brasil, pós-doutorado no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano da Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ, Brasil
João Henrique dos Santos, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Ecólogo, doutor em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora, MG, Brasil, professor adjunto do Departamento de História e Teoria da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Prédio da Reitoria/FAU, Av. Pedro Calmon, 550, Cidade Universitária, Rio de Janeiro, RJ, CEP 21941-485, (21) 3938-1628
Estela Maris de Souza, Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro
Arquiteta e Urbanista, doutoranda do PROURB - Programa de Pós-Graduação em Urbanismo da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Prédio da Reitoria/FAU, Av. Pedro Calmon, 550, Cidade Universitária, Rio de Janeiro, RJ, CEP 21941-485, (21) 3938-1628
Publicado
2016-12-23
Como Citar
Segre, R., Santos, J. H., & Souza, E. M. (2016). Um paradoxo patrimonial: a Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 14(2), 67-81. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v14i2p67-81
Seção
Artigos e Ensaios