Escritos de Lygia Pape: cidade, neovanguarda e cultura material popular

  • Vanessa Rosa Machado Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo
  • Fábio Lopes de Souza Santos Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: Lygia Pape, produção textual, cultura popular urbana

Resumo

Conhecida por obras neoconcretas e pela experimentação dos anos 1960 e 1970, a artista carioca Lygia Pape (1927-2004) manteve um interesse constante pela cultura popular. Destacam-se neste artigo três de seus pouco conhecidos escritos: “Tramas de caboclo ou a geometria do mato” (s/d), “Favela da Maré ou milagre das palafitas” (1972) e “A mulher na iconografia de massa” (1978). Em conjunto, revelam tanto uma abordagem original e positiva sobre essa produção, visão que compartilhou com seu amigo e interlocutor Hélio Oiticica, quanto uma inflexão em seu interesse pelo popular urbano, que se desloca em direção à cultura de massa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Rosa Machado, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo (EESC-USP, 2003), mestrado (2008) e doutorado (2014) pelo Instituto de Arquitetura e Urbanismo - USP São Carlos. É autora do livro “Lygia Pape: espaços de ruptura” (2010). Tem estudos na área de Arquitetura e Artes com ênfase em Arte Brasileira.

Fábio Lopes de Souza Santos, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela FAU-USP (1980), Master of Arts pelo Royal College Of Arts (1984) e doutorado em Arquitetura e Urbanismo pela USP (2000). Realizou diversas exposições de artes plásticas. É professor doutor do IAU-USP. Atua principalmente nos temas arte e cidade, identidade nacional e artes plásticas.

Referências

ARANTES, Otília. Mario Pedrosa diante da arte pós-moderna. Arte em Revista n.7, CEAC. São
Paulo, 1983.
ASBURY, Michael. O Hélio não tinha ginga. In: BRAGA, Paula. (org). Fios soltos: a arte de Hélio
Oiticica. São Paulo: Perspectiva, 2008.
BORJAS-VILLEL, Manuel J.; VELÁSQUEZ, Teresa. (curadoria). Lygia Pape: espaço imantado. Textos
de Paulo Herkenhoff [et al.]. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2012.
CATALOGUE RAISONNÉ HÉLIO OITICICA. Textos originais de Hélio Oiticica e outros em mídia
digital - versão preliminar do Catalogue Raisonné Hélio Oiticica. Rio de Janeiro: Projeto
Hélio Oiticica, 2004. 3 CD-ROM.
CHAUÍ, Marilena. Seminários. O nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo: Ed.
Brasiliense, 1984.
FAVARETTO, Celso. Tropicália: a explosão do óbvio. In: BASUALDO, Carlos (org). Tropicália: uma
revolução na cultura brasileira (1967-1972). São Paulo: Cosac & Naify, 2007. Vários autores.
GULLAR, Ferreira. Diálogo sobre o não-objeto. 1959. Disponível em: br/ferreira-gullar/por-ele-mesmo/ensaios/dialogo-sobre-o-nao-objeto/>. Acesso em: 10
maio 2013.
JACQUES, Paola Berenstein. Estética da ginga: a arquitetura das favelas através da obra de
Hélio Oiticica. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2001.
MACHADO, Vanessa Rosa. Lygia Pape: espaços de ruptura. Dissertação (Mestrado). Universidade
de São Paulo, Escola de Engenharia de São Carlos. São Carlos, 2008.
MACHADO, Vanessa Rosa; SANTOS, Fábio Lopes de Souza. A Revista Malasartes, a crítica ao
projeto político-cultural do modernismo e a produção experimental dos anos 1970. In:
Anais do VIII Encontro de História da Arte: História da Arte e Curadoria, 2012, Campinas.
MALASARTES. Rio de Janeiro, Números 1, 2 e 3. Rio de Janeiro. Imprinta. Setembro de 1975/
junho de 1976.
MATTAR, Denise. Lygia Pape - Intrinsecamente Anarquista. Rio de Janeiro: Relume Dumará:
Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro, 2003.
OITICICA FILHO, César; VIEIRA, Ingrid (org.). Hélio Oiticica. Rio de Janeiro: Beco do Azougue,
2009.
ORTEGA, Sheila Christina. Lygia Pape, indigenismo e engajamento. Dissertação (Mestrado) -
Universidade Julio de Mesquita Filho, São Paulo, 2004.
PAPE, Lygia. A mulher na iconografia de massa. (Relatório de Pesquisa). FUNARTE, Rio de
Janeiro, 1978.
________. Catiti catiti na terra dos brasis. Dissertação (Mestrado). Universidade Federal do Rio
de Janeiro. Rio de Janeiro, 1980.
________. Favela da Maré ou milagre das palafitas (1972). In: BORJAS-VILLEL, Manuel J.;
VELÁSQUEZ, Teresa. (curadoria). Lygia Pape: espaço imantado. Textos de Paulo Herkenhoff
[et al.]. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2012.
PAPE, Lygia. Lygia Pape - Entrevista a Lúcia Carneiro e Ileana Pradilla. Rio de Janeiro: Nova
Aguilar, 1998. Coleção Palavra do artista.
________. Tramas de caboclo ou a geometria do mato (s/d). In: BORJAS-VILLEL, Manuel J.;
VELÁSQUEZ, Teresa. (curadoria). Lygia Pape: espaço imantado. Textos de Paulo Herkenhoff
[et al.]. São Paulo: Pinacoteca do Estado, 2012.
PUPPO, Eugênio (Ed. e org.). Cinema marginal brasileiro e suas fronteiras: filmes produzidos
nos anos 60 e 70. Rio de Janeiro: Heco Produções. 2004.
Publicado
2018-12-17
Como Citar
Machado, V., & Santos, F. L. de S. (2018). Escritos de Lygia Pape: cidade, neovanguarda e cultura material popular. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 16(2), 12-30. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v16i2p12-30
Seção
Artigos e Ensaios