Subúrbio moderno, utopia burguesa. reflexões sobre a modernização de São Paulo e a suburbanização do Morumbi

Palavras-chave: São Paulo, modernização, subúrbio, Morumbi

Resumo

A formação de subúrbios na periferia do cuore urbano de São Paulo logo no início do século XX é um fenômeno que já motivou estudos nas mais diversas frentes. Sabe-se que, embora a suburbanização tenha envolvido sobretudo os grupos socioeconômicos de renda baixa, ela também abrangeu famílias de médio e alto poder aquisitivo. O atual distrito do Morumbi, urbanizado a partir do final da década de 1940, compreende diversos bairros que foram concebidos como subúrbios para famílias de renda alta. Dentre eles, o Paineiras do Morumbi, projetado pelo arquiteto Oswaldo Bratke (1907-1997), é um exemplo representativo do padrão de traçado adotado em quase toda aquela região. Este artigo examina justamente a suburbanização que envolveu parte das classes de renda média e alta da população de São Paulo ao final dos anos 1940, e que promoveu, nesse período, a ocupação do Morumbi. O objetivo é discutir os fatores que impulsionaram a emergência desse processo, bem como elucidar as dinâmicas de desenvolvimento e configuração urbana típicas dos bairros que hoje conformam o distrito. Inicialmente, o trabalho revisa as principais transformações urbanas ocorridas em São Paulo a partir dos anos 1920, quando a cidade enfrentou sua primeira modernização. A segunda parte examina o projeto de Oswaldo Bratke para o bairro Paineiras do Morumbi, que é tomado como estudo de caso. Na reflexão final, atenta-se para as principais motivações que facilitaram a suburbanização do Morumbi, pontuando a contradição inerente a tal processo. Nesse sentido, o subúrbio parece ter sido encarado por parte das famílias nucleares de elite como oportunidade de realizar uma utopia de vida moderna em um cenário agreste porém modernizado, distante das condições urbanas conturbadas e heterogêneas que vinham se impondo na metrópole.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Anderson Dall'Alba, Universidade do Vale do Rio dos Sinos e Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Arquiteto graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2013) com período sanduíche na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (FAUP, 2011-2012), em Portugal.
Mestre em Teoria, História e Crítica da Arquitetura pelo Programa de Pesquisa e Pós-Graduação em Arquitetura da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PROPAR-UFRGS, 2017) e, atualmente, doutorando pela mesma instituição (2017-).

Referências

ANELLI, Renato Luiz Sobral. Redes de Mobilidade e Urbanismo em São Paulo: das radiais/perimetrais do Plano de Avenidas à malha direcional PUB. Arquitextos. São Paulo, ano 07, n. 082.00, Vitruvius, mar. 2007. Disponível em: . Acesso em: 11 de jul. 2018.
BARCELLOS, Vicente Quintella. Unidade de vizinhança: notas sobre sua origem, desenvolvimento e introdução no Brasil. Cadernos eletrônicos da Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UNB (atual Paranoá), v.3, 2001. Disponível em: . Acesso em: 14 de jul. 2018.
BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar: a aventura da modernidade. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.
CAMARGO, Mônica Junqueira de. Princípios de Arquitetura Moderna na obra de Oswaldo Arthur Bratke. 2000. 187 p. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
CAMPOS, Candido Malta. Os rumos da cidade: urbanismo e modernização em São Paulo. São Paulo: Senac, 2002.
CASAGRANDE DE PAULA, Zuleide. Jardim América: de projeto urbano a monumento patrimonial. 2005. 272 f. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo, 2005.
COMAS, Carlos Eduardo. Livre pensar é só pensar: casa, cidade e pax americana. Projeto Design, São Paulo, n. 281, jul. 2003, p. 19-23.
INVAMOTO, Denise. Futuro pretérito: historiografia e preservação na obra de Gregori Warchavchik. 2012. 366 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.
IRIGOYEN DE TOUCEDA, Adriana Marta. Da Califórnia a São Paulo: referências norte-americanas na casa moderna paulista 1945-1960. 383 p. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
JANJULIO, Maristela da Silva. Bangalô-Subúrbio: a circulação intercontinental de uma nova cultura da habitação no início do século XX. Oculum Ensaios 13, p. 46-58, jan-jun 2011.
LANGENBUCH, Juergen Richard. A estruturação da grande São Paulo – estudo de geografia urbana. Rio de Janeiro: IBGE, Departamento de Documentação e Divulgação Geográfica e Cartográfica, 1971.
LANGENBUCH, Juergen Richard. Depoimento. Espaços e Debates: Revista de Estudos Regionais e Urbanos. São Paulo, n. 42, p. 87, 2001.
LEME, Maria Cristina da Silva. Francisco Prestes Maia. AU Arquitetura & Urbanismo. São Paulo, n. 64, p. 59-65, fev-mar 1996.
LIBERANI. São Paulo Cresce. Correio Paulistano, São Paulo, p. 03, 19 dezembro 1890.
LIMA, Zeuler R. M. de A. Lina Bo Bardi. New York: Yale University Press, 2013.
MAIA, Francisco Prestes. Os melhoramentos de São Paulo. São Paulo: Prefeitura Municipal de São Paulo, 1945.
MARIANO, Cassia. Preservação e paisagismo em São Paulo: Otavio Augusto Teixeira Mendes. São Paulo: Annablume, Fapesp, Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, 2005.
MUTUAL House Association, a project for five hundred families in Crestwood Hills. Arts & Architecture, Los Angeles, n. 64, p. 30-43, 1948.
O JARDIM MORUMBI: Arquitetura-Natureza. Habitat. São Paulo, n. 10, p. 26-44, 1953.
O MORUMBI. Habitat. São Paulo, n. 5, p. 66-67, 1951.
PETRONE, Pasquale. A cidade de São Paulo no século XX. Revista de História, Brasil, n. 21-22, p. 127-170, junho 1955. Disponível em: . Acesso em: 16 de jul. 2018.
REIS FILHO, Nestor Goulart. São Paulo, Vila, Cidade, Metrópole. São Paulo: Bank Boston, Prefeitura de São Paulo, 2004.
SEGAWA, Hugo; DOURADO, Guilherme Mazza. Oswaldo Arthur Bratke. 2. ed. São Paulo: PW Editores, 2012.
SEGAWA, Hugo. Prelúdio da metrópole: arquitetura e urbanismo em São Paulo na passagem do século XIX para o século XX. São Paulo: Ateliê, 2000.
SOMEKH, Nadia. A cidade vertical e o urbanismo modernizador. São Paulo: Studio Nobel/Edusp, Fapesp, 1997.
STUCHI, Fernanda Terenzi. Revista Habitat: um olhar moderno sobre os anos 50 em São Paulo. Dissertação (Mestrado em Arquitetura) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: . Acesso em: 17 de jul. 2018.
SUBDIVISION by Gregory Ain, A. I. A, Architect for planned homes. Arts & Architecture, Los Angeles, n. 31, p. 32-35, 1945.
WOLFF, Silvia Ferreira Santos. Jardim América: o primeiro bairro-jardim de São Paulo e sua arquitetura. São Paulo: Edusp, Fapesp, Imprensa Oficial do Estado, 2001.
Publicado
2019-06-30
Como Citar
Dall’Alba, A. (2019). Subúrbio moderno, utopia burguesa. reflexões sobre a modernização de São Paulo e a suburbanização do Morumbi. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), 17(1), 24-46. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v17i1p24-46
Seção
Artigos e Ensaios