Semilugares

  • Bianca M. Habib Silva Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo
Palavras-chave: “Semilugar”, Semicultura, Hibridismo

Resumo

O texto retoma as noções de Lugares e Não Lugares propostas por Augé e,valendo-se do termo adorniano Semicultura, especula uma possível leitura sobre seus reflexos na atual conformação das cidades e na produção de certos “tipos” de espaços. Os Semilugares são aqui entendidos como aqueles que tenderiam a constituir Lugares ou Não Lugares, porém se fundem criando hibridismos que resultam em novas formas espaciais, cujas essências se encontram na atração para o consumo. A lógica identitária dos Lugares foi substituída por uma lógica de mercado, e a falta de identidade dos Não Lugares foi preenchida por este mesmo elemento comum.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca M. Habib Silva, Universidade de São Paulo. Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Arquiteta e urbanista, mestranda do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP)

Publicado
2013-07-17
Como Citar
Silva, B. (2013). Semilugares. Risco Revista De Pesquisa Em Arquitetura E Urbanismo (Online), (17), 23-34. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4506.v0i17p23-34
Seção
Artigos e Ensaios