Demanda por doenças crônico-degenerativas entre adultos matriculados em uma unidade básica de saúde em São Carlos - SP

  • Adriana Barbieri Feliciano Universidade de São Paulo; Faculdade de Saúde Pública
  • Suzana Alves de Moraes Universidade de São Paulo; Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto
Palavras-chave: morbidade proporcional, doenças crônico-degenerativas, atenção primária a saúde

Resumo

O estudo teve por objetivo traçar o perfil da clientela maior de 12 anos de idade de uma UBS, segundo variáveis sócio-demográficas como sexo, faixa etária, cor, estado civil e procedência e caracterizar o perfil de morbidade segundo os capítulos da CID (X-Revisão) e grupos diagnósticos específicos destacando-se o grupo das doenças crônico-degenerativas, com vistas à sua caracterização no contexto da transição demográfico-epidemiológica. O delineamento foi do tipo transversal, sendo a população base constituída pela clientela matriculada na UBS até 31 de agosto de 1996. Foram excluídos os indivíduos em situação de abandono, os que foram transferidos para outras unidades e aqueles que foram a óbito. A população efetivamente estudada foi composta por 1013 indivíduos. Os dados foram processados no software FOXPRO vs 2.0 e as análises foram efetuadas no EPIINFO vs 6.04. Constatou-se que a população estudada foi basicamente constituída por mulheres (87.1%). Com relação à idade 69.6% estavam entre 12 e 40 anos, 95.6% eram da cor branca, 57.2% eram casados e 97% procedentes da zona urbana. Quando os diagnósticos foram classificados segundo os capítulos da CID destacaram-se as doenças do aparelho geniturinário (35.5%), aparelho respiratório (11.5%) e sinais e sintomas (9,9%). A classificação segundo os grupos específicos de causas apontou magnitude semelhante entre as doenças infecto-parasitárias (24.8%) e as doenças crônico-degenerativas (24.5%). No grupo de doenças crônico-degenerativas 50% dos capítulos da CID foram compostos pelo conjunto: causas circulatórias, endócrinas e mentais-comportamentais. Observou-se que o perfil de morbidade da UBS parece enquadrar-se no modelo polarizado de transição onde as doenças crônico-degenerativas coexistem com as infecto-parasitárias. O modelo tradicional de atendimento da Unidade que enfoca a saúde materno-infantil parece não adequar-se ao envelhecimento populacional progressivo ao priorizar uma clientela que embora ainda jovem já denota a necessidade de que sejam desenvolvidas ações coletivas voltadas para a prevenção primária e secundária das doenças crônico-degenerativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
1999-07-01
Como Citar
Feliciano, A., & Moraes, S. (1999). Demanda por doenças crônico-degenerativas entre adultos matriculados em uma unidade básica de saúde em São Carlos - SP. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 7(3), 41-47. https://doi.org/10.1590/S0104-11691999000300007
Seção
Artigos Originais