Fatores estressantes e estratégias de coping dos enfermeiros atuantes em oncologia

Autores

  • Andrea Bezerra Rodrigues University of São Paulo; School of Nursing
  • Eliane Corrêa Chaves University of São Paulo; School of Nursing

DOI:

https://doi.org/10.1590/S0104-11692008000100004

Palavras-chave:

adaptação psicológica, enfermagem, estresse, oncologia

Resumo

Na especialidade oncologia, são muitos os fatores que podem conduzir o profissional de enfermagem ao stress ocupacional. Para tentar controlar essa situação, o indivíduo pode utilizar estratégias de coping, que é um esforço cognitivo e comportamental utilizado frente a evento estressor. Os objetivos desse estudo foram identificar os fatores estressantes para enfermeiros que atuam em oncologia e verificar as estratégias de coping utilizadas pelos mesmos. Foram utilizados dois questionários: um inventário de dados demográficos, construído pela autora, e o inventário de estratégias de coping de Folkman e Lazarus. Os resultados da pesquisa mostram que os fatores considerados mais estressantes para os enfermeiros de oncologia são: o óbito dos pacientes (28,6%), as situações de emergência (16,9%), os problemas de relacionamento com a equipe de enfermagem (15,5%) e as situações relacionadas ao processo de trabalho (15,5%). Na população estudada, a estratégia de coping mais utilizada foi a reavaliação positiva.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2008-02-01

Como Citar

Rodrigues, A. B., & Chaves, E. C. (2008). Fatores estressantes e estratégias de coping dos enfermeiros atuantes em oncologia. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 16(1), 24-28. https://doi.org/10.1590/S0104-11692008000100004

Edição

Seção

Artigos Originais