Experiências de vida com Lupus Eritematoso Sistêmico como relatadas na perspectiva de pacientes ambulatoriais no Brasil: um estudo clínico-qualitativo

  • Gilberto Dari Mattje State University for Campinas; Laboratory of Clinical-Qualitative Research
  • Egberto Ribeiro Turato State University for Campinas; Faculty of Medical Sciences
Palavras-chave: lupus eritematoso sistêmico, adaptação psicológica, entrevista psicológica, doenças da pele e do tecido conjuntivo, auto-imagem, pesquisa qualitativa, medicina psicossomática, doença crônica

Resumo

Este estudo objetivou conhecer vivências de pacientes ambulatoriais com lúpus, nos termos dos significados que atribuíam aos vários fenômenos associados ao processo de adoecer. O Lúpus Eritematoso Sistêmico é uma doença inflamatória crônica e sua causa é provavelmente uma combinação de predisposições congênitas/hereditárias e fatores ambientais, que conduzem a um estímulo anormal do sistema imune. A vivência do Lúpus está associada a importantes mecanismos de adaptação psicossocial das pessoas acometidas. Este trabalho teve um desenho clínico-qualitativo, realizado no serviço de dermatologia de um hospital geral brasileiro. O método incluiu amostra proposital e foi aplicada uma entrevista semidirigida de perguntas abertas. Após categorizar as falas dos entrevistados, a discussão empregou teorias psicodinâmicas. Concluiu-se que reações dos pacientes incluíam a tentativa de reconstruir os relacionamentos com suas próprias forças. Conflitos familiares e interpessoais destes pacientes parecem estar associados com a idéia de que a família e amigos não compreendem a natureza da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2006-08-01
Como Citar
Mattje, G., & Turato, E. (2006). Experiências de vida com Lupus Eritematoso Sistêmico como relatadas na perspectiva de pacientes ambulatoriais no Brasil: um estudo clínico-qualitativo. Revista Latino-Americana De Enfermagem, 14(4), 475-482. https://doi.org/10.1590/S0104-11692006000400002
Seção
Artigos Originais