Conhecimento de médicos e enfermeiros sobre dor em pacientes submetidos à craniotomia

  • Maria do Carmo de Oliveira Ribeiro Universidade Federal de Sergipe
  • Carlos Umberto Pereira Universidade Federal de Sergipe; Departamento de Medicina
  • Ana Maria Calil Sallum Universidade Federal de Sergipe; Departamento de Medicina
  • José Antonio Barreto Alves Universidade Federal de Sergipe
  • Marcelly Freitas Albuquerque Universidade Federal de Sergipe
  • Paula Akemi Fujishima Universidade Federal de Sergipe
Palavras-chave: Dor, Medição da Dor, Enfermagem, Craniotomia

Resumo

OBJETIVOS: caracterizar o perfil dos médicos e enfermeiros que cuidam de pacientes em pós-operatório de craniotomia, verificar métodos de avaliação da dor e identificar a existência de protocolos de analgesia. MÉTODO: este é um estudo transversal e analítico. A casuística constitui-se por 30 médicos e 30 enfermeiros. RESULTADOS: 83,3% dos enfermeiros era composto por mulheres, 63,3% conheciam escalas de dor e 16,6% afirmaram existir protocolos de analgesia. Quanto aos médicos, 60% pertenciam ao sexo masculino, 70% conheciam as escalas de dor, 3,3% possuíam especialização em tratamento da dor, 13,3% afirmaram existir protocolos de analgesia. CONCLUSÃO: o desconhecimento dos médicos e enfermeiros a respeito das escalas de avaliação e métodos de avaliação da dor revela a necessidade da criação de políticas institucionais sobre o controle da dor, uso de instrumentos de mensuração do fenômeno doloroso e protocolos de analgesia na instituição.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2012-12-01
Como Citar
Ribeiro, M., Pereira, C., Sallum, A., Alves, J., Albuquerque, M., & Fujishima, P. (2012). Conhecimento de médicos e enfermeiros sobre dor em pacientes submetidos à craniotomia . Revista Latino-Americana De Enfermagem, 20(6), 1057-1063. https://doi.org/10.1590/S0104-11692012000600007
Seção
Artigos Originais