Prevalência dos tipos de Papilomavírus Humano em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil

Autores

  • Lisiane O Teixeira Universidade Federal do Rio Grande
  • Valdimara C Vieira
  • Fabiana N Germano Universidade Federal Fluminense
  • Carla V Gonçalves Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior
  • Marcelo A Soares Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Genética
  • Ana M B Martinez Universidade Federal do Rio Grande

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i2p116-123

Palavras-chave:

Biologia Molecular. Técnicas de Genotipagem / HPV. Infecções por Papillomavirus. Reação em Cadeia da Polimerase. Saúde da Mulher

Resumo

Modelo do estudo: Transversal. Objetivo do estudo: Determinar a prevalência e os genótipos do HPV em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil. Metodologia: Foram coletadas amostras de secreções cérvico-vaginal de 200 mulheres. O HPV foi detectado pela Reação em Cadeia da Polimerase aninhada e os genótipos por sequenciamento. As variáveis foram analisadas pelo Teste Exato de Fisher e pelo Chi-quadrado de Pearson com o nível de significância < 5%. A força de associação foi calculada pela razão de prevalência e os seus intervalos de confiança a 95%. A análise Multivariada foi calculada pela Regressão Logística Binária para as variáveis com P <0,20. Resultados: O DNA do HPV foi detectado em 55 mulheres (27,5%). A prevalência do HPV foi associada a baixa renda (P =0,01), o início sexual precoce (P <0,001), a gestação (P = 0, 002), a infecção pelo HIV–1 (P = 0, 001) e a coilocitose no exame citopatológico (P =0,006). Houve associação entre o status sorológico para o HIV–1 e os genótipos HPV–33 (P =0,001) e HPV–68 (P <0,001). Na análise multivariada, a prevalência do HPV foi associada ao início sexual precoce (P =0,001), a infecção pelo HIV–1 (P =0,01), a gestação (P =0,02) e a coilocitose no citopatológico (P =0,01). Sobre os genótipos, 90,4% eram de alto risco oncogênico (18 HPV–18, 14 HPV–16, quatro HPV–53, três HPV–31, dois HPV–58, dois HPV–59, dois HPV–68, um HPV–33 e um HPV–52) e 9,6% de baixo risco (dois HPV–11, dois HPV–16 e um HPV– 70). Conclusões: Esse estudo teve a prevalência do HPV semelhante à prevalência descrita para esta região. Os genótipos do HPV de alto risco foram os mais prevalentes, sendo o HPV–18 o principal tipo viral encontrado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisiane O Teixeira, Universidade Federal do Rio Grande

Discente do Doutorado em Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Rio Grande

Valdimara C Vieira

Pós-Doutoranda, Programa de Oncovirologia, Instituto Nacional de Câncer - INCA - Rio de Janeiro

Fabiana N Germano, Universidade Federal Fluminense

Professora Adjunta de Hematologia Clínica e Virologia Universidade Federal Fluminense, Polo Universitário Nova Friburgo, Nova Friburgo

Carla V Gonçalves, Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior

Médica e Professora Adjunta da Disciplina de Ginecologia e Obstetrícia Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior

Marcelo A Soares, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Genética

Pesquisador Titular do Programa de Oncovirologia , Instituto Nacional de Câncer - INCA. Professor Associado IV do Departamento de Genética, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Rio de Janeiro

Ana M B Martinez, Universidade Federal do Rio Grande

Professora Associada da Disciplina de Microbiologia da Faculdade de Medicina e do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, FURG

Downloads

Publicado

2016-04-02

Como Citar

1.
Teixeira LO, Vieira VC, Germano FN, Gonçalves CV, Soares MA, Martinez AMB. Prevalência dos tipos de Papilomavírus Humano em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil. Medicina (Ribeirao Preto) [Internet]. 2 de abril de 2016 [citado 2 de dezembro de 2020];49(2):116-23. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rmrp/article/view/118395

Edição

Seção

Artigo Original