Prevalência dos tipos de Papilomavírus Humano em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil

  • Lisiane O Teixeira Universidade Federal do Rio Grande
  • Valdimara C Vieira
  • Fabiana N Germano Universidade Federal Fluminense
  • Carla V Gonçalves Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior
  • Marcelo A Soares Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Genética
  • Ana M B Martinez Universidade Federal do Rio Grande
Palavras-chave: Biologia Molecular. Técnicas de Genotipagem / HPV. Infecções por Papillomavirus. Reação em Cadeia da Polimerase. Saúde da Mulher

Resumo

Modelo do estudo: Transversal. Objetivo do estudo: Determinar a prevalência e os genótipos do HPV em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil. Metodologia: Foram coletadas amostras de secreções cérvico-vaginal de 200 mulheres. O HPV foi detectado pela Reação em Cadeia da Polimerase aninhada e os genótipos por sequenciamento. As variáveis foram analisadas pelo Teste Exato de Fisher e pelo Chi-quadrado de Pearson com o nível de significância < 5%. A força de associação foi calculada pela razão de prevalência e os seus intervalos de confiança a 95%. A análise Multivariada foi calculada pela Regressão Logística Binária para as variáveis com P <0,20. Resultados: O DNA do HPV foi detectado em 55 mulheres (27,5%). A prevalência do HPV foi associada a baixa renda (P =0,01), o início sexual precoce (P <0,001), a gestação (P = 0, 002), a infecção pelo HIV–1 (P = 0, 001) e a coilocitose no exame citopatológico (P =0,006). Houve associação entre o status sorológico para o HIV–1 e os genótipos HPV–33 (P =0,001) e HPV–68 (P <0,001). Na análise multivariada, a prevalência do HPV foi associada ao início sexual precoce (P =0,001), a infecção pelo HIV–1 (P =0,01), a gestação (P =0,02) e a coilocitose no citopatológico (P =0,01). Sobre os genótipos, 90,4% eram de alto risco oncogênico (18 HPV–18, 14 HPV–16, quatro HPV–53, três HPV–31, dois HPV–58, dois HPV–59, dois HPV–68, um HPV–33 e um HPV–52) e 9,6% de baixo risco (dois HPV–11, dois HPV–16 e um HPV– 70). Conclusões: Esse estudo teve a prevalência do HPV semelhante à prevalência descrita para esta região. Os genótipos do HPV de alto risco foram os mais prevalentes, sendo o HPV–18 o principal tipo viral encontrado

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lisiane O Teixeira, Universidade Federal do Rio Grande
Discente do Doutorado em Ciências da Saúde, Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, Universidade Federal do Rio Grande (FURG) Rio Grande
Valdimara C Vieira
Pós-Doutoranda, Programa de Oncovirologia, Instituto Nacional de Câncer - INCA - Rio de Janeiro
Fabiana N Germano, Universidade Federal Fluminense
Professora Adjunta de Hematologia Clínica e Virologia Universidade Federal Fluminense, Polo Universitário Nova Friburgo, Nova Friburgo
Carla V Gonçalves, Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior
Médica e Professora Adjunta da Disciplina de Ginecologia e Obstetrícia Serviço de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Universitário Dr. Miguel Riêt Corrêa Júnior
Marcelo A Soares, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Departamento de Genética
Pesquisador Titular do Programa de Oncovirologia , Instituto Nacional de Câncer - INCA. Professor Associado IV do Departamento de Genética, Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ - Rio de Janeiro
Ana M B Martinez, Universidade Federal do Rio Grande
Professora Associada da Disciplina de Microbiologia da Faculdade de Medicina e do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde, FURG
Publicado
2016-04-02
Como Citar
Teixeira, L., Vieira, V., Germano, F., Gonçalves, C., Soares, M., & Martinez, A. (2016). Prevalência dos tipos de Papilomavírus Humano em mulheres atendidas em um Hospital Universitário no Sul do Brasil. Medicina (Ribeirao Preto. Online), 49(2), 116-123. https://doi.org/10.11606/issn.2176-7262.v49i2p116-123
Seção
Artigo Original