Contribuições de Ecoinovações para a Sustentabilidade da Atividade Turística

um estudo exploratório em município brasileiro

Palavras-chave: Ecoinovações, Desenvolvimento sustentável, Turismo

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar os benefícios das ecoinovações adotadas pelos componentes do trade turístico do município de Areia-PB e suas contribuições para a sustentabilidade da atividade turística dessa região. Em termos metodológicos, trata-se de uma pesquisa exploratória e descritiva conduzida sob a forma de um estudo de caso, no qual a partir de um conjunto de ecoinovações para a atividade turística foi possível identificar estas práticas junto às organizações participantes do trade turístico no município, por meio da observação não participante e entrevistas com alguns dos principais componentes do trade. Os resultados obtidos apontam que a quantidade de ecoinovações adotadas é mediana, além disso, foi constatado que o motivo principal para sua utilização tem um viés voltado para ganhos econômicos. O resultado da avaliação da sustentabilidade classifica o município como parcialmente insustentável. Nesse caso, a incipiência na adoção de ecoinovações pelas empresas do setor tem relação direta com o baixo nível de sustentabilidade da atividade turística no município pesquisado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gesinaldo Ataíde Cândido, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Professor no Programa de Pós-Graduação em Administração da Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, Paraíba, Brasil.

Pedro Vieira Brito, Universidade Federal de Campina Grande

Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG). Professor de Administração na Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, Paraíba, Brasil.

Referências

Almeida, P., & Caldas, R. (2010). Areia-PB: Patrimônio e contextualização histórica, Paraíba (Brasil). Anais do 16º Encontro Nacional dos Geógrafos (ENG), 2010, Porto Alegre, RS. São Paulo: Associação Brasileira de Geógrafos.

Andersen, M. (2006). Eco-innovation indicators. Copenhagen: European Environment Agency. Recuperado de https://bit.ly/2GF95cK

Arundel, A., & Kemp. R. (2003). Measuting eco-innovation. Maastricht: United Nations University.

Buysse, K., & Verbeke, A. (2003). Proactive environmental strategies: A stakeholder management perspective. Strategic Management Journal, 24(5), 453-470.

Carlsen, J., Liburd, J., Edwards, D., & Forde, P. (Eds.). (2008). Innovation for sustainable tourism: International case studies. Odense: University of Southern Denmark.

César-Dachary, A. (1996). Desarrollo sustentable, turismo y medio ambiente en el Caribe: Una opción válida? Estudios y Perspectivas en Turismo, 5, 18-51.

Cherobim, A., Cunha, S., & Mendonça, A. (2014). Sistemas setoriais de inovações sustentáveis: Categorias de análise, tipologias e classificações para análise. Revista de Administração, Contabilidade e Economia, 13(1), 328-305.

Elkington, J. (2001). Canibais com garfo e faca. São Paulo, SP: Makron Books.

Farias, A. (2014). Contribuições de eco-inovações para a sustentabilidade da fruticultura de manga da região submédio São Francisco. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande.

Guardia, M. (2012). Diagnóstico da estrutura física de engenhos da microrregião do brejo paraibano para exploração turística. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2010). Índice de Desenvolvimento Humano municipal. Recuperado de https://bit.ly/2GBXlI6

Kemp, R., & Foxon, T. (2007). Tipology of eco-innovation. In R. Kemp, & P. Pearson. Measuring eco-innovation. (pp. 10-12). Brussels: European Commission. Recuperado de https://bit.ly/2GkyF51

Könnölä, T., Carrillo-Hermosilla, J., & Gonzalez, P. R. (2008). Dashboard of eco-innovation. Proceedings of the DIME International Conference “Innovation, sustainability and policy”, 2008, Bordeaux, FR. New York: Dime. Retrieved from https://bit.ly/2GAuALW

Lucena, A., Cavalcante, J., & Cândido, G. A. (2010). Sustentabilidade no município de João Pessoa: Uma aplicação do barômetro da sustentabilidade. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, 7(1), 272-320.

Maçaneiro, M., & Cunha, S. (2015). Relações entre fatores contextuais internos às organizações e a adoção de estratégias proativas e reativas de ecoinovações. Revista de Administração Mackenzie, 16(3), 20-50.

Melo, C., & Martins, J. (2007). Dimensões da sustentabilidade. Revista Amazônia Legal de Estudos Sócio-Jurírico-Ambientais, 2(3), 93-103. Recuperado de https://bit.ly/2UXngEn

Menezes, V., Cunha, S., & Cunha, J. (2013). Inovações para a proteção ambiental em cadeias hoteleiras: Um estudo de caso da Slaviero Hotéis. In Anais do 15º Congresso Latino-Iberoamericano de Gestão de Tecnologia, 2013, Porto. São Paulo, SP: Altec. Recuperado de https://bit.ly/2VzjIHW

Rennings, K. (1998). Towards a theory and policy of eco-innovation: Neoclassical and (co-)evolutionary perspectives. Centre for European Economic Research (ZEW). Recuperado de https://bit.ly/2GAJtOv

Santos, J. (2013a). Sistema de indicadores de sustentabilidade para o turismo: Aplicação de uma abordagem participativa em Porto de Galinhas-PE. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

Santos, V. (2013b). Desenvolvimento local de novas ruralidades: Representações do turismo rural no município de Areia/PB. Dissertação de Mestrado, Universidade Estadual da Paraíba, Campina Grande.

Silva, N. (2015). Sistema de indicadores de sustentabilidade do desenvolvimento do turismo: Um estudo de caso do município de Areia-PB. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande.

Theobald, W. (2001). Significado, âmbito e dimensão do turismo. In W. F. Theobald. Turismo global. (pp. 27-44). São Paulo, SP: Senac.

Yin, R. (2005). Estudo de caso: Planejamentos e métodos. Porto Alegre, RS: Boookman.

Publicado
2019-06-04
Como Citar
Cândido, G., & Brito, P. (2019). Contribuições de Ecoinovações para a Sustentabilidade da Atividade Turística. Revista Turismo Em Análise, 29(2), 236-254. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v29i2p236-254
Seção
Artigos e Ensaios