Análise dos Estudos sobre Indicadores de Sustentabilidade no Turismo

uma revisão integrativa

  • Arthur Caldeira Sanches Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
  • Leandro Sauer Universidade Federal do Mato Grosso do Sul
  • Erlaine Binotto Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Márcia Maria Bortolocci Espejo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul
Palavras-chave: Indicadores de sustentabilidade, Turismo, Revisão integrativa

Resumo

O turismo se apresenta como um importante setor da economia, gerando empregos e renda nos mais distintos lugares. Diante disso, a questão da sustentabilidade se apresenta como um importante fator a ser considerado, principalmente no que tange as análises das regiões voltadas ao turismo no estado do Mato Grosso do Sul, fortemente conhecidas pelo vínculo ambiental. Assim, os indicadores surgem como ferramentas necessárias para a mensuração de tais aspectos, visando a análise da sustentabilidade no turismo. O objetivo do trabalho é sintetizar o conhecimento produzido sobre os indicadores de sustentabilidade no turismo. Realizou-se um levantamento nas bases de dados Science Direct, Web of Science e Scopus, considerando a busca por “Sustainability indicators” nos títulos dos artigos publicados e “tourism” no desenvolvimento do texto. A síntese dos estudos mostra que diversos exemplos de indicadores de sustentabilidade são pensados no que tange a atividade turística, contudo, os principais questionamentos nos trabalhos dizem respeito às características necessárias para a composição destes, dimensões abordadas na análise da sustentabilidade, integração entre o desenvolvimento das ferramentas e as pessoas que farão uso das informações e disponibilidade de dados para mensuração.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Arthur Caldeira Sanches, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorando em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campo grande, Mato Grosso do Sul, Brasil. Professor do curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Três Lagoas, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Leandro Sauer, Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Doutor em Automação pela Unicamp, Campinas, São Paulo, Brasil. Professor do Programa de Pós- Graduação em Administração da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul, Campo Grande, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Erlaine Binotto, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Professora do curso de Administração da Universidade Federal de Grande Dourados, Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil.

Márcia Maria Bortolocci Espejo, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Doutorado em Controladoria e Contabilidade pela USP, São Paulo, São Paulo, Brasil. Universidade Federal
de Mato Grosso do Sul, Programa de Pós-Graduação em Administração, Campo Grande, MS, BR

Referências

Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e desenvolvimento (CMMAD). (1988). Nosso futuro comum. Rio de Janeiro, RJ: FGV.

Banos-González, I., Martínez-Fernández, J. & Esteve-Selma, M. A. (2015). Dynamic integration of sustainability indicators in insular sócio-ecological systems. Ecological Modelling, (306), pp. 130-144.

Banos-González, I., Martínez-Fernádez, J & Esteve-Selma, M. A. (2016) Using dynamic sustainability indicators to assess environmental policy measures in Biosphere Reserves. Ecological Indicators, (67), pp. 565-576.

Benitez-Capistros, F., Hugé, J. & KOEDAM, N. (2014). Environmental impacts of the Galapagos Islands: identification of interactions, percetions and steps ahead. Ecological Indicators, (38), pp. 113-123.

Blancas, F. J., Lozano-Oyola, M., González, M., Guerrero, F. M. & Caballero, R. (2011). How to use sustainability indicators for tourism planning: the case of rural tourism in Andalusia (Spain). Science of the Total Environment, (412-413), pp. 28-45.

Borland, H. (2009). Conceptualising global strategic sustainability and corporate transformational change. International Marketing Review, (26),pp. 554–572.

Botelho, L. L. R., Cunha, C. C. A. & Macedo, M. (2011). O método da revisão integrativa nos estudos organizacionais. Gestão e Sociedade, pp. 121-136.

Brandão, C. N., Barbieri, J. C. & Junior, E. R. (2014). Analysis of the social, cultural, economic and environmental impacts of indigenous tourism: a multi-case study of indigenous communities in the Brazilian Amazon. WIT Transactions on Ecology and the Environment, 187.

Brasil. Ministério do Turismo. Coordenação Geral de Regionalização. (2007). Programa de Regionalização do Turismo - Roteiros do Brasil: Turismo e Sustentabilidade/Ministério do Turismo. Brasília, DF: Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação Geral de Regionalização

Brasil. (2013). Plano Nacional de Turismo. Brasília, DF: Ministério do Turismo

Brasil. Ministério do Turismo. (2015). Turismo investe em sustentabilidade ara tornar destinos ainda mais atrativos. Recuperado de http://www.brasil.gov.br/turismo/2015/08/turismo-investe-em-sustentabilidade-para-tornar-destinos-ainda-mais-atrativos

Brasil. Turismo investe em sustentabilidade para tornar destinos ainda mais atrativos. Recuperado de http://www.brasil.gov.br/turismo/2015/08/turismo-investe-em-sustentabilidade-para-tornar-destinos-ainda-mais-atrativos

Broome, M. E. (2006). Integrative literature reviews for the development of concepts. In: Rodgers, B. L. & CASTRO, A. A. Revisão sistemática e meta-análise. Recuperado de www.metodologia.org/meta1.PDF

Candiotto, L . Z. P. (2009). Considerações sobre o conceito de turismo sustentável. Revista Formação, 1(16). Recuperado de http://revista.fct.unesp.br/index.php/formacao/article/view/861

Castellani, V. & Sala, S. (2010). Sustainable performance index for tourism policy development. Tourism Management, (31), pp. 871-880.

Choi, H. C. & Sirakaya, E. (2006). Sustainability indicators for managing community tourism. Tourism Management, (27), pp. 1274-1289.

Cottrell, S. P., Vaske, J. J. & Roemer, J. M. (2013). Resident satisfaction with sustainable tourism: the case of Frankenwald Nature Park, Germany. Tourism Management Perspectives, (8), pp. 42-48.

Embratur. Turismo contribui com 9% do PIB mundial. Recuperado de http://www.embratur.gov.br/piembratur-new/opencms/salaImprensa/artigos/arquivos/Turismo_contribui_com_9_do_PIB_mundial.html

Endere, M. L. & Zulaica, M. L. (2015). Socio-cultural sustainability and “buen vivir” (good living) at heritage sites: assessment of the agua blanca case, Ecuador. Ambiente & Sociedade. 18(4), pp. 259-284.

Gomes, P.R. (2011). Indicadores ambientais na discussão da sustentabilidade: uma proposta de análise estratégica no contexto de etanol de cana-de-açúcar no estado de São Paulo. Dissertação de mestrado em Ciências da Engenharia Ambiental, Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade de São Paulo, São Carlos, SP, Brasil.

Guerrero, G. G., Pérez, M. E. V. & Ibarra, R. M. (2013). Community involvement in the assessment of the importance of sustainable rural tourism indicators for protected areas: the case of the Nevado de Toluca National Park in Mexico. Sustainable Development and Planning, 6.

Gunter, U., Ceddia, M. G. & Troster, B. (2015). International ecoturism and economic development in Central America and the Caribbean. Modul University Working Paper, 1.

Herrera-Ulloa, A. F., Lluch-Cota, S., Ramírez-Aguirre, H., Hernádez-Vazquez, S. & Ortega-Rubio, A. (2003). Sustainable performance of the tourism industry in the state of Baja California Sur, Mexico. Interciencia, 28(5).

Honey, M. (2008). Ecotourism and Sustainable Development. In Who owns Paradise? (2ª ed.). Island, Estados Unidos.

Hugé, J., Hai, L. T., Hai, P.H., Kuilman, J. & Hens, L. (2010). Sustainability indicators for clean development mechanism projects in Vietnam. Environ. Dev. Sustain. 12, pp. 561–571.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). (2008). Indicadores de desenvolvimento sustentável. Recuperado de http://www.ibge.gov.br/home/geociencias/recursosnaturais/ids/default_2008.shtm

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Indicadores de desenvolvimento sustentável: Brasil 2002. Recuperado de http://www.ibge.gov.br/home/geografia/ambientais/ids/ids.pdf

Jannuzzi, P. M. (2006). Indicadores Sociais no Brasil: conceitos, fontes de dados e aplicações. (3ª ed.). Campinas, SP: Editora Alinea.

Ko, T. G. (2005). Development of a tourism sustainability assessment procedure: a conceptual approach. Tourism Management. 26, pp. 431-445.

Lovelock, J. (2000). The ages of Gaia: A biography of our living earth. New York, NY: Bantam

Marques, A. S., Ramos., T. B., Caeiro, S. & Costa, M. H. (2013). Adaptative-participative sustainability indicators in marine protected areas: Design and communication. Ocean & Coastal Management, 72.

Marques, A. S., Ramos, T. B., Caeiro, S. & Costa, M. H. (2013). Adaptive-participative sustainability indicators in marine protected áreas: design and communication. Ocean & Coastal Management, (72), pp. 36-45.

Mascarenhas, A., Nunes, L. M. & Ramos, T. B. (2014). Exploring the self-assessment of sustainability indicators by different stakeholders. Ecological Indicators, (39), pp. 75-83.

Mascarenhas, A., Nunes, L. M. & Ramos, T. B. (2015). Selection of sustainability indicators for planning: combining stakeholders' participation and data reduction techniques. Journal of Cleaner Production, (92), pp. 295-307.

Mathis, A. (2001). Instrumentos para o desenvolvimento sustentável regional. Recuperado de http://www.gpa21.org/publicacoes/8Instrumentos.pdf

Mitchell, G. (1996). Problems and fundamentals of sustainable development indicators. Sustainable Development, 4(1), pp. 1-11.

Mitev, N. & Venters, W. (2009). Reflexive evaluation of an academic-industry research collaboration: Can mode 2 management research be achieved?. Journal of Management Studies, 46, pp.733–754

Mueller, C., Torres, M. & Morais, M. (1997). Referencial básico para a construção de um sistema de indicadores urbanos. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), Brasília, DF, Brasil.

Nunes, E., Laffon, S., Alderete, A. & Barreto, R. (2013). Sustainability diagnosis based on indicators for a coastal corridor of the southern Gulf of Mexico. Ecosystems and Sustainable Development, 9.

Organização Mundial da Saúde (OMT). (2002). Contribuciones de la organización mundial del turismo a la cumbre mundial sobre el desarrollo sostenible. Johannesburg, South Africa

Pakzad, P., Osmond, P. & Corkery, L. (2017). Developing key sustainability indicators for assessing green infrastructure performance. Procedia Engineering, (180), pp. 146-156.

Pires, P. S. (2010). Turismo e meio ambiente: relação de interdependência. In: Phillipi, A. & Ruschmann, D. V. M. (Eds.). Gestão ambiental e sustentabilidade no turismo. Barueri, SP: Manole.

Polit, D. F & Beck, C. T. (2006). Using research in evidence-based nursing practice. In Essentials of nursing research. Methods, appraisal and utilization. Philadelphia, PA: Lippincott Williams & Wilkins.

Porritt, J. (2007). Capitalism as if the world matters. London, Inglaterra: Earthscan.

Quiroga, R. (2001). Indicadores de sostentabilidad y desarrollo sostenible: estado del arte y perspectivas. Santiago de Chile, Chile: División de Medio Ambiente y Asentamientos Humanos.

Raffestin, C. (1993). Por uma geografia do poder. São Paulo, SP: Ática.

Rebollo, J. F. V. & Baidal, J. A. I. (2003). Measuring sustainability in a mass tourist destination: pressures, perceptions and policy responses in Torrevieja, Spain. Journal of Sustainable Toursim.

Redeker, G. (2000). Coherence and Structure in Text and Discourse. In Harry, B & Black, W. (ed). Abduction, Belief and Context in Dialogue: Studies in Computational Pragmatics, ed. Amsterdam, Alemanha, pp. 233-261.

Ribeiro, W. O., Costa, M. A. F. & Tavares, M. G. C. (2013). As Práticas Turísticas na Orla Oeste da Ilha de Mosqueiro, Região Metropolitana de Belém, PA. Revista Rosa dos Ventos, 5 (3), pp. 528-544.

Roberts, S & Tribe, J. (2008). Sustainability indicators for small tourism enterprises – an exploratory perspective. Journal of sustainable tourism, 16(5).

Rossi, M. S. et al. (2000). Leader in sustainability development: how agent of change be fine the agenda. Business Strategic and Environment, (9), pp. 273-286.

Schianetz, K & Kavanagh, L. (2008). Sustainability indicators for tourism destinations: a complex adaptive systems approach using systemic indicator systems. Journal of sustainable tourism, 16(6).

Souza, M. L. (1995). O território: sobre espaço e poder, autonomia e desenvolvimento. In: Castro I. E., Gomes, P. C. C. & Corrêa, R. L. (orgs.). Geografia: conceitos e temas. Rio de Janeiro, RJ: Bertrand.

Souza, M. T., Silva, M. D. & Carvalho, R. (2010). Revisão Integrativa: o que é e como fazer. Einstein, 8(1).

Tanguay, G. A., Rajaonson, J. & Therrien, M. C. (2013): Sustainable tourism indicators: selection criteria for policy implementation and scientific recognition. Journal of Sustainable Tourism, 21, pp. 862–879.

Whittemore, R. & Knafl, K. (2005). The integrative review: update methodology. J Adv Nurs.

ZHANG, J., JI, M. & ZHANG, Y. (2015). Tourism sustainability in Tibet – Forward planning using systems approach. Ecological Indicators, (56), pp. 218-228.

Publicado
2019-06-14
Como Citar
Sanches, A., Sauer, L., Binotto, E., & Espejo, M. (2019). Análise dos Estudos sobre Indicadores de Sustentabilidade no Turismo. Revista Turismo Em Análise, 29(2), 292-311. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v29i2p292-311
Seção
Artigos e Ensaios