Construção de um Tesauro Brasileiro de Turismo

Palavras-chave: Turismo, Tesauro, Vocabulário controlado, Categorias, Relações conceituais

Resumo

Este artigo trata da construção do Tesauro Brasileiro de Turismo a partir de um estudo explicativo, com base na análise documental das teses de doutorado sobre turismo produzidas de 1975 a 2015, na bibliografia especializada publicada no país até 2016 e na visão de especialistas coletada em 2017. O Tesauro Brasileiro de Turismo tem sua estrutura composta por 17 categorias, cujos termos específicos estabelecem entre si relações conceituais no campo do turismo. O tesauro foi implantado em plataforma online mediante o software TemaTres. Adotou-se a noção de turismo como um campo científico sob uma abordagem multirreferencial, sem limitações de fronteiras disciplinares, e considerando também a prática turística. O processo de estruturação dos termos do tesauro revelou a amplitude e a complexidade desse campo em suas variadas interfaces disciplinares e sua potencialidade enquanto instrumento de apoio às pesquisas em turismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mirian Rejowski, Universidade Anhembi Morumbi. Universidade de São Paulo

Doutora e pesquisadora de pós-doutorado em Teoria do Turismo e do Lazer pela Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil. Professora do curso de mestrado e doutorado da Universidade Anhembi Morumbi, São Paulo, São Paulo, Brasil. Professora do curso de Turismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, São Paulo, Brasil.

Cristina Hilsdorf Barbanti, Universidade de São Paulo

Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Referências

Argentina. Ministerio de Turismo de la Nación. (2012). Tesauro turístico argentino. Buenos Aires, BA: Ministerio de Turismo de la Nación. Recuperado de http://bit.ly/2JBt9jJ

Austin, D. (1993). Diretrizes para o estabelecimento e desenvolvimento de tesauros monolíngues. Brasília, DF: IBICT.

Beni, M. C. (2001). Análise estrutural do turismo (6ª ed.). São Paulo: Senac.

Bourdieu, P. (1983). Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero.

Consejo Superior de Investigaciones Científica. (2003). Tesauro ISOC de Economia. Edición Multilíngüa. Madrid: Centro de Información e Documentación Científica. Recuperado de https://bit.ly/2Va00Os

Dencker, A. F. M. (2005). Pesquisa como base para a construção teórica no campo do turismo e da hospitalidade. Revista Hospitalidade, 2(1), 55-66.

España. Ministério da Economía. (2003). Tesauro – turismo (español-ínglês-francês). Madrid, MD: Centro de Documentación Turística de España.

España. Instituto de Estudios Turísticos. (2012). Tesauro de turismo. Madrid, MD: Instituto de Estudios Turisticos. Recuperado de https://bit.ly/2VAfZq7

Farrell, B. H., & Twining-Ward, L. (2004). Un nuevo concepto del turismo. Annals of Tourism Research en español, 6(1), 65-90.

Garcia, M. M. A. (1996). O campo das produções simbólicas e o campo científico em Bourdier. Caderno de Pesquisa, 97, 64-72.

International Standard Organization. (2011). ISO 25964: thesauri and interoperability with other vocabularies. Part 1: Thesauri for information retrieval. Geneva, CH: ISO.

International Standard Organization. (2012). ISO 25964: thesauri and interoperability with other vocabularies. Part 2: Interoperability with other vocabularies. Geneva, CH: ISO.

Köenig, M., Formentin, C. N., & Borges, R. J. (2016). Projeto de estruturação terminológica para a área de turismo e hospitalidade: um tesauro de definições. Navus – Revista de Gestão e Tecnologia, 6(5), 35-42.

Kops, D. (2014). Hospitalidade – saberes e fazeres culturais em diferentes espaços sociais. Caxias do Sul, RS: Educs.

Lugosi, P., Lynch, P., & Morrison, A. (2009). Critical hospitality management research. The Service Industries Journal, 29(10), 1465-1478.

Meira, F. B.; Meira, M. B. V. (2006). Considerações sobre um campo científico em formação: Bourdieu e a nova ciência do turismo. In Anais do Encontro da Associação Nacional dos Programas de Pós-graduação em Administração, 30, 2006, Salvador, BA. Maringá: Anpad.

Moesch, M., & Beni, M. C. (2015). Do discurso sobre a ciência do turismo para a ciência do turismo. In Anais do 12º Seminário Anual da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Turismo, 2015, Natal, RN. São Paulo: Anptur.

Moreira, A. C. S. (2010). Terminologia e tradução: criação de uma base de dados terminológica do turismo baseada num corpus paralelo português-inglês. Tese de Doutoramento, Universidade de Vigo, Vigo, GA, Espanha. Recuperado de http://sli.webs.uvigo.es/arquivos/Tese_Adonay_Moreira.pdf

National Information Standards Organization. (2010). Guidelines for the construction, format, and management of monolingual controlled vocabularies. Baltimore, MD: NISO.

Organización Mundial del Turismo. (2001). Tesauro de turismo y ocio (Vol. 1-5). Madrid, MD: OMT.

Organización Mundial del Turismo. (2014). Tesauro de turismo y ocio. Madrid, MD: OMT.

Osorio García, M. (2016). Revista Estudios y Perspectivas en Turismo: calidad científica y editorial, temáticas e indicadores bibliométricos. Estudios y perspectivas en turismo, 25(4), 539-557. Recuperado de https://bit.ly/2U6kK9a

Rejowski, M., & Kobashi, N. Y. (2011). Subsídios para elaboração de um tesauro brasileiro de turismo. Revista Turismo em Análise, 22(3), 579-598.

Solha, K. T., & Vogel, M. J. M. (2014). Tesauro do turismo rural: português-español (P. Smulewicz, trad.). São Paulo: ECA/USP. Recuperado de https://bit.ly/2VzCs6C

Tito, A. L. A., Brumatti, P N. M., & Nóbrega, W. R. M. (2017). Pós-modernidade e turismo: reflexões acerca da experiência turística no contexto das agências de viagens. Turismo em Análise, 28(3), 424-437.

United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization. (2017). Tesauro de la Unesco. Paris: Unesco. Recuperado de https://bit.ly/2e5jV1v

Universidade de São Paulo. (2016). Vocabulário controlado do SIBi/USP. São Paulo: USP. Recuperado de https://bit.ly/2uSXzFt

Vieira, J. M. L., Santos, M. T., & Lapa, R. C. (2010). Estudo da construção e aplicação do tesauro na recuperação da informação de teses e dissertações do programa de pós-graduação em desenvolvimento urbano. Biblionline, (esp.), 71-80.

Villagrá Rubio, Á., & Edo Hernández, V. (2008). Tesauro ISOC de economía (3ª ed). Madrid, MD: Centro de Ciencias Humanas y Sociales.

Wu, M. Y., & Pearce, P. L. (2012). Tourism research in and about Tibet: employing a system for reviewing regional tourism studies. Tourism and Hospitality Research, 12(2), 59-72.

Zuñiga-Collazos, A., Palacio, M. C., & Miki, A. F. C. (2012). Análisis de la producción de investigación científica internacional sobre turismo en Colombia y Brasil y el desarrollo turístico actual de los países. Turismo em Análise, 23(2), 240-264.

Publicado
2019-06-03
Como Citar
Rejowski, M., & Barbanti, C. (2019). Construção de um Tesauro Brasileiro de Turismo. Revista Turismo Em Análise, 29(2), 182-195. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v29i2p182-195
Seção
Artigos e Ensaios